Com um plantel ainda muito curto, de apenas quinze atletas, a equipa juvenil comandada por José Adérito Moreira apresentou as suas caras na manhã de domingo, 11 de setembro, frente ao Clube Desportivo Trofense.

A primeira parte do jogo foi mais equilibrada, com os jovens talentos do S. Romão a conseguirem oferecer resistência aos vizinhos do Trofense, pelo que o resultado ao intervalo era 1-2, com o golo da casa a surgir pouco depois da meia hora de jogo, num “chapéu” que Ricardo Miranda fez ao guardião trofense.

O emblema da Trofa alterou a sua equipa na segunda metade do jogo, fazendo entrar novos elementos em campo, que deram novo vigor à equipa e fustigaram os jovens do S. Romão, com poucos suplentes, acusando algum cansaço. Assim, o Trofense conseguiu marcar mais seis golos durante o segundo tempo, fechando o resultado num 1-8.

O treinador da equipa assumiu o resultado do jogo, justificando que “o Trofense apresentou praticamente três equipas no jogo de apresentação, soube gerir muito bem os tempos de jogo”. “Não atribuo muito significado ao resultado, porque sabemos bem que o Trofense tem outro tipo de argumentos que nós não temos”, referiu José Adérito Moreira.

Formar jogadores e envolvê-los na vida desportiva e cidadania são os objetivos gerais das camadas jovens do S. Romão e no que se refere a objetivos específicos, o ex-treinador da Geração Benfica do Bougadense não fala em pódios, ambicionando em primeira instância afastar a anarquia de jogo que caracteriza o grupo e conseguir que “os atletas evoluam e que de futuro se consigam criar equipas competitivas”. “Objetivos de conquista dos primeiros lugares não são realistas nesta fase. Muitos deles estão no primeiro ou segundo ano de competição e não passaram pela base de formação do futebol pelo que em termos de organização de equipa faltam-lhes muitas bases”, destacou.

No campo das maiores adversidades, o treinador apontou “algumas lacunas na equipa, principalmente a extensão do plantel”. “Temos apenas 15 atletas e era necessário, a curto prazo, termos mais elementos. Obviamente que os inibe experimentar um clube com estas condições, mas acredito que com o início da escola começaremos a ter gente nova. De resto, eu tenho a mesma formação que os outros treinadores, condições de trabalho diferentes, mas que não são impeditivas de fazer um bom trabalho. Considero as nossas condições análogas às do futebol de rua e deste futebol saíram grandes nomes, portanto acredito que um jogador que tenha um bom desempenho num campo destes, em campos de qualidade será muito melhor, é uma questão de se adaptar à forma de trabalhar. De minha parte assumo-o e da parte dos miúdos creio que temos todas as condições, porque são muito humildes, atentos e empenhados”, garantiu.

A estreia dos jovens futebolistas romanenses no campeonato é no dia 25 de setembro, com mais uma visita aos vizinhos, desta vez o Bougadense.

 

Plantel Juvenil 2011/2012

Hugo Pinheiro – Guarda-Redes (ex. S.Romão)

Roberto Ferreira – Guarda-Redes (ex. S.Romão)

João Carvalho – Defesa (ex. S.Romão)

Pedro Oliveira – Defesa (sem clube)

Marco Costa – Defesa (ex. S.Romão)

Filipe Bacelo – Defesa (ex. S.Romão)

Pinguinhas – Defesa (ex. S.Romão)

Nelson Sousa – Defesa (sem clube)

Emanuel Martins – Médio (ex. S.Romão)

Ricardo Miranda – Médio (ex. S.Romão)

Ricardo Rocha – Médio (ex. S.Romão)

André Sousa – Médio (ex. S.Romão)

José Sousa – Médio (ex. S.Romão)

Luís Carvalho – Avançado (ex. S.Romão)

Jorge Rocha – Avançado (sem clube)

 

Treinador: José Adérito Moreira

Diretores: Calos Pinheiro, Filipe Ferreira e Manuel Carvalho

Massagista: João Oliveira

Presidente: Rui Damasceno

 

{fcomment}