A Assembleia de Freguesia de Guidões reuniu, em sessão extraordinária, para votar a doação de um terreno, com cerca de 6 mil metros quadrados, pertencente à Junta de Freguesia, à Associação dos Reformados da Trofa.

A sessão ficou ainda marcada pela inclusão de um novo ponto na ordem de trabalho para a votação do protocolo de delegação de Competências da Camara Municipal na Junta de Freguesia. Atanagildo Lobo, da CDU votou contra a inclusão deste ponto alegando que “não poderia votar um documento que recebeu na hora da reunião e sem ter tido oportunidade de o analisar”. Bernardino Maia, presidente da Junta de freguesia explicou que se trata de “um protocolo exactamente igual ao do ano anterior”, mas ainda assim o eleito da CDU votou contra.

As opiniões dividiram-se logo no inicio da sessão com os eleitos do PSD e da CDU a questionarem a legalidade desta doação, defendida pelo executivo liderado por Bernardino Maia. Atanagildo Lobo defendeu que “esta proposta de doação do terreno não fazia parte do programa eleitoral de nenhum dos partido e por isso esta assembleia não tem legitimidade para tomar esta decisão”, afirmando ainda “devíamos dar voz aos verdadeiros proprietários do terreno e através de um referendo local saber se os Guidoenses concordam com esta medida”.

Bernardino Maia afirmou não concordar e assegurou que o projecto da ART, que preve a construção de Um centro de dia, um Lar de idosos, uma creche e uma auditório, é uma mais valia para Guidões.

Também José Ferreira do PSD mostrou ter muitas duvidas quanto à “legalidade desta doação, sendo apenas autorizada pela Junta de Freguesia, já que o presidente da Junta é, ao mesmo tempo Vice-presidente da Associação”. Ferreira foi mais longe e disse ainda desconhecer os estatutos da Associação a quem vamos doar este terreno que é de toda a freguesia”.

Depois de rejeitada a proposta de Referendo apresentada pela CDU, foi a própria mesa da Assembleia a sugerir uma reunião entre alguns membros da Assembleia e os directores da Associação de Reformados da Trofa, que acabou por ser aprovada.

Assim, o eleito da CDU questionou ainda sobre quais seriam as contrapartidas para a freguesia e conseguiu ver aprovada uma proposta para apresentar à ART que consagra que um terço da ocupação das valências sociais sejam preenchidos por residentes ou naturais de Guidões. Assim a reunião foi suspensa estando já agendada nova sessão para esta quinta-feira, dia 1 de Fevereiro para votação da doação e do Protocolo de Delegação de Competências.