Dois concertos e um Curso de Guitarra Clássica. Assim será o próximo fim-de-semana em Santo Tirso. O XVII Festival Internacional de Guitarra continua com actuações dos mais prestigiados artistas nacionais e internacionais.

Depois de Aniello´s Desiderio´s Quartetto Furioso (Itália), Jorge Caballero (Perú) e Alexey Arkhipovsky (Rússia), é agora a vez do português Júlio Guerreiro e do bósnio Denis Azabagis mostrarem os seus talentos com a guitarra.

Na sexta-feira, dia 21 de Maio, Júlio Guerreiro actua às 21.30 horas, no auditório da Biblioteca Municipal de Santo Tirso. No sábado, o espectáculo fica a cargo de Denis Azabagis numa actuação marcada para as 21.30 horas, no Museu Municipal Abade Pedrosa.

Também no sábado, entre as 10 e as 13 horas, decorre no Museu Municipal Abade Pedrosa um Curso de Guitarra Clássica, ou Master Class, sob coordenação do guitarrista bósnio Denis Azabagic.

Júlio Guerreiro

Natural de Lisboa, Júlio Guerreiro obteve em 2001, sob a orientação de Piñero Nagy, a licenciatura em Guitarra na Escola Superior de Música de Lisboa, onde integrou também a classe de música de câmara de Olga Prats, terminando ambas as disciplinas com elevada classificação. De 2002 a 2004, como bolseiro do Centro Nacional de Cultura, realizou o curso de Pós-Graduação em Interpretação Musical na Escuela Luthier de Artes Musicales, em Barcelona, onde estudou com Ricardo Gallén.

Participou em master classes com diversos professores entre os quais António Jorge Gonçalves, David Russell, Joaquín Clerch e Alberto Ponce. Em 1999 obteve o 1ºPrémio (Ex-aequo) no I Concurso Internacional de Guitarra de Sernancelhe. Em 2000 foi premiado com o Prémio Cultura Carla Minen, no XXIX Concorso Internazionale di Chitarra Fernando Sor, em Roma. Em 2005 foi galardoado com o 2º Prémio no I Encuentro de Guitarra Norba Caesarina, em Cáceres, Espanha.

Em 2001 e 2002, participou em vários recitais comentados pelo compositor e Maestro António Vitorino d’Almeida, destacando-se um concerto inteiramente dedicado à sua obra de música de câmara no Musikverein de Viena de Áustria e a gravação das suas obras para Ensemble. Em 2003 realizou com os solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras vários concertos com repertório para guitarra e quarteto de cordas. Realizou como solista, com a Orquestra Filarmónia das Beiras, dirigida pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo, concertos integrados na programação cultural da cidade de Aveiro e nas Semanas de Música do Estoril. Integrado na Orchestrutópica, foi dirigido pelos Maestros Odaline de la Martinez, Cesário Costa e Jean-Sebastien Béreau.

A convite do Maestro Alberto Lysy integrou o grupo de Solistas da Camerata Lysy Gstaad tendo realizado concertos no Festival Açoreano “MúsicAntlântica”, no XXX Festival Internacional de Música da Costa do Estoril e na Internacional Menuhin Academy for Young Soloists, em Blonay, na Suíça. Integrando o Remix Ensemble (Casa da Música), tocou em várias ocasiões em território nacional e em Inglaterra, Alemanha e Holanda, trabalhando directamente com compositores como James Dillon e Helmut Lachenmann, tendo sido dirigido por Peter Rundel, IIan Volkov e Rolf Gupta. Sob a direcção de Valery Gergiev, integrou ainda a Orquestra do Teatro Mariinsky, de S. Petersburgo. Actualmente, lecciona na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa.

Denis Azabagic

Nasceu a 14 de Novembro 1972, na Bósnia. É um dos guitarristas clássicos mais destacados do circuito internacional de hoje. Tem feito concertos em todo o mundo, mantendo um equilíbrio entre os solos, música de câmara com “Cavatina Duo” e compromissos como solista com orquestras.

“Uma vez que começou a tocar a sua guitarra, tornou-se intemporal. Não se poderia imaginar onde o homem, os instrumentos e as músicas se separavam”, lia-se uma crítica no Los Angeles Valley Star, USA. Azabagic a tocar é “praticamente perfeito e a sua facilidade técnica é uma alegria de ver, bem como de ouvir. Cada vez mais se menciona que tem o mesmo fôlego de John Williams”, referenciou o Soundboard Magazine, US.

Em 1993, e com 20 anos, tornou-se o primeiro jovem vencedor da mais prestigiada competição internacional de Guitarra Jacinto e Inocencio Guerrero, em Madrid. Depois de ouvir Azabagic, o distinguido compositor Anton Gracia April afirmou: “Tenho a certeza que em breve, irá tornar-se um dos melhores guitarristas do mundo”.
Até 1999 ganhou vinte e quatro prémios em competições internacionais, dos quais onze foram primeiros prémios. Já escreveu um livro, nas Competições, baseado na sua experiência durante esses anos e foi publicado pela Mel Bay.

Até hoje, Azabagic gravou sete CDs para editoras internacionais assim como dois DVDs. As suas gravações e concertos ao vivo, são muito elogiados pela crítica, pela sua elegante abordagem da música e a forma única de comunicar e atingir o coração da audiência.

Como instrumentista e solista convidado, Azabagic tem aparecido com a Chicago Symphony Orchestra, Tallahassee Symphony Orchestra, Illinois Symphony Orchestra, Sacramento Chamber Orchestra, Madrid Symphony, Lórchestre Royal de Chambre de Mons, entre outros.

É um convidado regular em locais como: Chicago Symphony Center; Mestres da Guitarra no Royal Concertgebouw em Amesterdão; Radio France em Paris; Aix en Provence Festival, França; El Palau de la Musica, Valencia- Espanha; Savannah on Stage, EUA; Omni Foundation, EUA; Ravinia Festival, EUA; National Chang Kai Shek Cultural Center, Taiwan; e, National Center for the Performing Arts, Beijing- China.

O seu repertório inclui música solo e orquestra do período barroco até ao presente. Membro activo do Duo Cavatina, o seu reportório de música de câmara é vasto, incluindo muitas obras escritas especialmente para o Duo. Actualmente lecciona na Universidade Roosevelt, em Chicago.