Foi adiado, mais uma vez, para data ainda a definir, o julgamento do Caso Trofense, que começava na próxima segunda-feira, 8 de fevereiro.

O adiamento, que tem entre os arguidos o então vereador do Desporto Renato Pinto Ribeiro, justifica-se com o atual contexto pandémico que Portugal atravessa e com as medidas implementadas no âmbito do Estado de Emergência.

Recorde-se que o Caso Trofense em causa está uma alegada “falta de fiscalização” das “verbas públicas atribuídas pela autarquia para obras de manutenção e requalificação do Complexo Desportivo do Trofense, em Paradela”, acabando o dinheiro alegadamente desviado pelo então presidente do clube Paulo Melro, para pagamentos de salários e outras despesas do futebol profissional do Trofense. 

As verbas em causa estariam, alegadamente, destinadas à requalificação dos relvados e apoio na construção de uma sala de estudos no complexo do clube em Paradela. Nesse ano (2014), o Clube Desportivo Trofense viu ser-lhe atribuído um valor global de 135 mil euros de subsídios por parte do município.

Este julgamento já tinha sido adiado, a 19 de outubro, devido ao facto de o vereador ter de cumprir isolamento profilático depois de ter contactado com uma pessoa que testou positivo à Covid-19.

Entretanto, o Tribunal tinha decidido “migrar” o julgamento para o Fórum Trofa XXI, depois de os advogados se terem queixado da “falta de condições de trabalho”, no Tribunal de Matosinhos.