eleicoes-js 

Revolucionou a juventude partidária socialista e deu um novo fôlego ao debate político entre os jovens do concelho. Marco Ferreira foi reeleito como presidente da Juventude Socialista da Trofa, nas eleições que se realizaram no passado domingo, na antiga sede do PS.

A lista que encabeçou, a lista M (de mudança), marca uma revitalização do grupo cor-de-rosa, com a integração de novos elementos que substituem outros que ultrapassaram o limite de idade, como é o caso de Daniel Azevedo.

Mas antes de se falar em projectos para o futuro, importa fazer um balanço do passado, “extraordinário” na opinião do presidente da JS. Desde logo pelo cumprimento da principal meta do mandato, ou seja, a vitória nas eleições autárquicas. Marco Ferreira admite o “papel importante” da juventude partidária no triunfo de Joana Lima no sufrágio de 11 de Outubro, no entanto mais há para ressalvar.

“Há muito mais que nos diz se o mandato foi bom ou não. Digo que foi bom, porque trouxemos muitos jovens para a política e fizemos política de maneira diferente tal como nunca se tinha visto aqui na Trofa”.

A actividade da JS passou por uma “política de ideias” aprovada no manifesto autárquico que permitiu a concretização de um projecto “consistente” para a Trofa. “Tivemos sempre aquela irreverência própria da juventude. E usamos essa irreverência para fazer política a sério, na Trofa nunca tinha existido uma juventude partidária que tivesse palcos certos, nos momentos certos”, afirmou.

Para o jovem socialista, uma juventude partidária tem que ser “muito mais do que uma organizadora de torneios de futebol e torneios de playstation”.

“Nós não dizemos não a isso, mas acima de tudo fizemos política e pusemos gente a gostar da política e isso é o que me deixa mais feliz. Eu já gostava de política antes da JS, mas ter novos jovens, pessoas que nunca olharam para a política como algo interessante a começar a gostar e a lutar pela Trofa, é isto que torna o mandato um verdadeiro sucesso”, sublinhou.

A revolução política na JS de que Marco Ferreira foi protagonista passou por “aumentar o número de militantes”, facto que permite a juventude partidária beneficiar de “maiores alicerces” que sustentam uma grande responsabilidade: ser o braço direito da administração local.

No plano de actividades, a maior parte das iniciativas “estão no segredo dos deuses”. Marco Ferreira apenas fez antever uma mudança ao “nível de participação política” e “actividades maiores e mais ambiciosas”. O presidente da JS garantiu ainda que a juventude partidária vai continuar activa, à semelhança do que aconteceu este domingo. “De manhã tivemos o passeio de BTT a São Gonçalo, organizámos depois um almoço-convívio na festa e depois viemos fazer as eleições”, referiu.

Blogue é segunda voz no debate político

Mudam-se os tempos, mudam-se as maneiras de fazer política. Seja a nível regional ou nacional, os políticos renderam-se à rede digital para comentar os principais acontecimentos políticos. A JS da Trofa é um dos exemplos de uma força partidária presente na blogoesfera e a partir do seu blogue (www.jstrofa.blogspot.com) comenta os principais temas da actualidade política do concelho e do país. Para além disso, os socialistas sabem que este é um importante veículo de proximidade aos jovens. “O blogue tem sido uma experiência muito interessante, tem milhares de visitas por mês e está sempre a crescer. Conta com muitas postagens, muitos comentários e é dos poucos dos grupos partidários com actividade constante”, frisou Marco Ferreira.

O presidente da JS considera importante que as pessoas se interessem pela blogoesfera e pela Internet, que é “um espaço muito interessante para debatermos ideias e para crescermos todos juntos”. “O blogue da JS é uma marca neste concelho”, concluiu.