Os jornalistas da Trofatv foram impedidos pelo Director Desportivo do FC Arouca de fazerem reportagem do jogo Arouca -Trofense da  2ª eliminatória da Taça de Portugal. 
Segundo o elemento da direção do clube  ” o pedido de acreditação foi feito tardiamente (na manhã de quinta feira)”. 

Certo é que o pedido foi feito por fax e email pelas 10h da manha de quinta feira, dia 11 de outubro, e não foi recebida nenhuma resposta na redação da TrofaTv, nem positiva, nem negativa., o que levou a equipa de reportagem a deslocar-se normalmente a Arouca e fazer os cerca 200km de deslocação. Certo é que se já era intenção de não emitir a autorização para a cobertura do jogo, deveriam ter respondido negativamente.
Contudo,  já das três vezes anteriores que a Trofatv se deslocou a Arouca, a ultima das quais em Abril, a acreditação foi pedida sempre na manhã de quinta feira, como é feita para todos os jogos, em todos os estádios de equipas de futebol, nos cinco anos de existência da Trofatv.

Segundo Joel Pinho, o diretor da equipa de Arouca, os jornalistas podiam entrar, mas “não podiam filmar o jogo”, o que é ainda mais curioso, uma vez que o pedido de acreditação era para operador de imagem televisiva, como se fosse possível fazer reportagem para televisão, sem filmar o jogo.

A equipa de reportagem da TrofaTv, depois de pedir a elementos da GNR para o identificarem procedeu a participação, no posto da GNR de Arouca, por atentado à liberdade de imprensa.
A queixa seguira também para o Ministério Publico e Federação Portuguesa de Futebol,  e da mesma será também dado conhecimento a Entidade Reguladora para a Comunicação Social.