João Pedro Goulart volta a comandar o corpo de Bombeiros Voluntários da Trofa, dois anos depois de não ter sido renovada a comissão de serviço para se manter no comando da corporação da Trofa.
 A cerimónia solene de tomada de posse de João Pedro Goulart teve lugar no Salão Nobre da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa (AHBVT) na sexta-feira, dia 5 de junho.
Até à data era Filipe Coutinho quem comandava  o corpo de bombeiros da Trofa, exercendo interinamente funções, depois da sua própria demissão, por ser o bombeiro mais graduado para liderar a corporação.
Bombeiro voluntário desde 1988, João Goulart volta a ocupar o lugar de Comandante da Corporação trofense com uma missão que passa, segundo o próprio, por “manter uma gestão operacional, equilibrada, com o objetivo da sustentabilidade da corporação e da associação em si”.
“É um desafio que se põe face ao perfil que se vem desenhando do bombeiro da atualidade e daquilo que se espera enquanto agente de proteção e socorro, enquanto técnico de socorrismo para o futuro”. Foram estas as primeiras palavras de João Goulart sobre o seu regresso às funções de comandante.
Para Manuel Dias, presidente da Associação Humanitária, era impensável que “alguém viesse de fora do comando para tomar conta do corpo de bombeiros”. Considerando ser um risco elevado, já que dentro da Associação existem pessoas “com muita capacidade”, dando o exemplo de João Pedro Goulart. A máxima defendida por Manuel Dias de “aproveitar” as capacidades dos elementos que compõem o corpo de bombeiros é também defendida por João Goulart. “Há uma filosofia que nesta casa sempre reinou que é o comandante não vem de fora, é oriundo, é interno, é oriundo da estrutura. Os elementos do comando também serão oriundos da estrutura” afirmou João Goulart quando questionado sobre a escolha do segundo comandante.
Na cerimónia de tomada de posse, Manuel Dias referiu ainda a candidatura ao Portugal 2020 para a realização de obras no quartel. Com vista à melhoria das condições dos balneários dos bombeiros, Manuel Dias assegurou que se candidatura for aceite serão comprados cacifos maiores para os soldados da paz da Trofa “puderem guardar os seus pertences”. O presidente da AHBVT salientou que o bem-estar dos bombeiros é uma prioridade já que “se tiverem boas condições, mais rapidamente correspondem às necessidades das nossas populações”.