“O coração falou mais alto” e João Cruz voltou ao comando do Paradela, depois de se ter afastado há dois meses. O regresso surge na sequência de André Azevedo e a sua equipa terem colocado os lugares à disposição, após a sua suspensão por um mês.

O objectivo de João Cruz é ajudar o Paradela a “chegar a Maio com a dignidade que merece”. O técnico aceitou “o desafio” porque “falta pouco mais de um mês para terminar a época” e não foi capaz de “virar as costas a um amigo”. “É uma forma de demonstrar a minha gratidão por quem me acolheu bem e também porque conheço bem os jogadores e eles acolheram bem a ideia”, confessou. O “grande objectivo é a manutenção”.

José Ferreira, presidente da colectividade, explicou que a demissão da equipa técnica liderada por André Azevedo surgiu porque “não conseguiram” melhorar a prestação da equipa.

Cruz já orientou o treino desta terça-feira e José Ferreira acredita que este treinador “é a pessoa mais capaz de dar a volta” à situação por que passa a equipa, garantindo que sentiu “os jogadores mais alegres”, depois da derrota pesada por 6-0 diante o Marco 09, que despoletou o regresso de João Cruz.

Depois de ver quatro jogadores castigados e outros lesionados, o Paradela não conseguiu evitar a derrota frente ao candidato à subida Marco 09. A equipa da Trofa sofreu um pesado desaire por 6-0, o sétimo consecutivo na série 2 da 2ª Divisão da Associação de Futebol do Porto.

A formação do Marco de Canaveses luta pela subida de escalão e entrou convicta em somar mais um triunfo. Por seu lado, o Paradela foi combativo, mas não evitou que ao intervalo o adversário já vencesse por 2-0.

Em declarações ao NT, o técnico André Azevedo afirmou que a equipa da Trofa “criou alguns lances de perigo”, nos quais “foram tirados dois foras-de-jogo”, que no entender do treinador “não existiram”.

Na segunda parte o Paradela sofreu mais quatros golos e o marcador fixou-se nos 6-0. Para André Azevedo o resultado fez-se com “números muito exagerados”, pois “cada vez que a bola chegava à grande área era golo”.

Depois deste desaire, o então treinador espera que a equipa responda “positivamente”, pois seguem-se “dois jogos muito difíceis”. O primeiro com o Águias de Eiriz e depois com o Gens, que está abaixo do Paradela na classificação. A formação trofense continua com 25 pontos, com mais um que o S. Lourenço do Douro.