Já se iniciaram as obras de construção da 1ª fase do INTERCEPTOR DO LEÇA que levará os esgotos (águas residuais) das freguesias da bacia do Leça até à ETAR de Água Longa para tratamento. 

Esta primeira fase das obras inclui a construção da maior parte do emissário – são 6,5 kms de um total de 11 kms, num  investimento de 450 mil euros – está a cargo da empresa Águas do Ave e já podem ser vistas nas freguesias de Refojos e da Reguenga (foto). Numa segunda fase será construído o restante emissário – 4, 5 kms de extensão – que concluirá o denominado Interceptor do Leça, ligando-o definitivamente à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Água Longa.  

Estas duas empreitadas (Interceptor do Leça e ETAR de Água Longa) custarão cerca de quatro milhões de euros, e mostram-se essenciais quer para a implementação das redes que servirão as populações da Bacia do Leça (freguesias de Água Longa, Agrela, Guimarei, Reguenga, Refojos, Carreira, Lamelas e Monte Córdova) como para o desenvolvimento sustentável do concelho.  

Destacam-se ainda as adjudicações relativas aos prolongamentos dos interceptores do Sanguinhedo e Matadouro (mais 2, 3 kms de interceptor que vão custar 350 mil euros) que irão permitir um aumento significativo na recolha e condução de efluentes, às freguesias de Santo Tirso, S. Miguel do Couto e Santa Cristina do Couto.  

Ainda no âmbito da rede drenagem de águas residuais (esgotos) importa referir que foram concluídas em 2006 as obras relativas aos Interceptores de S. Tomé de Negrelos, Rebordões, Carreira e ainda a duplicação do Ave, bem como a ligação de Vizela I, esta última contempla a ligação de Cense ao interceptor de Vizela.