“Honrada”. Foi assim que Isabel Cruz se sentiu depois de ser convidada para exercer o cargo de diretora regional-adjunta da Direção Regional de Educação do Norte.

Isabel Cruz é, desde setembro, a nova diretora regional-adjunta da Direcção Regional de Educação do Norte (DREN).

Esta trofense, licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto em 1998, e mestre em Educação, especializada em Supervisão Pedagógica em Ensino da História (defendeu a tese em 2002) foi nomeada pelo Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, para exercer o cargo em regime de substituição, uma vez que, e apesar de estar prevista a extinção das Direcções Regionais de Educação (DRE), é “necessário e urgente assegurar o normal funcionamento deste serviço”, pode ler-se no despacho do ministro.

Em declarações ao NT, Isabel Cruz manifestou-se “honrada” pelo convite endereçado pelo “secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar”, João Casanova de Almeida, que representa a “valorização de uma carreira profissional na qual tem “investido muito”.

A sua função passa por “simplificar a relação entre a tutela e as escolas”. Para isso, Isabel Cruz vai apostar “num acompanhamento muito próximo das escolas”, tentando “ajudar a resolver problemas” emergentes de “burocracias que impeçam o bom desempenho quer das autarquias no que diz respeito às suas competências na educação, quer das escolas e diretores”.

Com a lei orgânica que “alterará o figurino das direções regionais” em “outubro”, estas entidades “continuarão a ter valências e divisões de serviço”, frisou.

Este não é o primeiro grande desafio de Isabel Cruz, que já abraçou “vários projetos” ao nível da universidade, respeitantes à “autoavaliação de escolas”.

A docente assegura que cumprirá a missão de “camisola trofense” vestida, tendo já “transmitido à vereadora da Educuação (Teresa Fernandes)”, que está “disponível” para “colaborar na resolução de problemas que vão emergindo”.

Relativamente à educação, Isabel Cruz considera que a Trofa “perdeu oportunidades” como a de requalificar a escola preparatória da Trofa: “Tivemos oportunidade de ter concorrido a um projeto de requalificação da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, mas a senhora presidente da Câmara não avançou, porque tem projetada uma nova escola, e não sei porquê”.

Já no que concerne à Escola Básica Integrada de Santiago de Bougado – um dos projetos previstos na Carta Educativa – Isabel Cruz promete “dar o melhor no sentido de agilizar procedimentos” para que o projeto se concretize. “Temos que ter perceção que esta fase não é de grandes verbas para se fazer candidaturas. Se o projeto já foi lançado e cabimentado, estarei aqui para ajudar a que ele seja concretizado. Se não foi ainda apresentado, só o poderá ser através das câmaras municipais”, explicou.

Isabel Cruz é docente na EB 2/3 Professor Napoleão de Sousa Marques, onde entre outras funções desempenhou o cargo de diretora do conselho pedagógico e de vice-presidente da comissão executiva instaladora da Escola EB 2/3 da Trofa. Foi até 2009 membro da Assembleia Municipal da Trofa, eleita pelas listas do PSD. Atualmente, é membro da Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado.

 {fcomment}