incendio-s.Romo 

Foi uma criança de apenas 11 anos que deu o alerta para o incêndio que deflagrou numa habitação na freguesia de S. Romão do Coronado, na sexta-feira, ao meio-dia. Parte da família foi realojada numa pensão.

Uma criança e dois idosos eram os únicos que se encontravam em casa quando o incêndio deflagrou e com baldes de água ainda tentaram salvar os bens do fogo, mas as chamas começaram a alastrar. Ninguém ficou ferido, mas a habitação onde moravam cinco pessoas na Rua da Fontinha, na freguesia de S. Romão do Coronado, ficou reduzida a cinzas na passada sexta-feira.

Pedro Martins estava a trabalhar, quando recebeu um telefonema que o alertava para o incêndio na casa onde viviam os cunhados e sogros. “Encontrei aqui os bombeiros, a polícia e muita gente, ainda não sei ao certo o que se passou. Quando os bombeiros acabarem o serviço deles vamos averiguar e tentar resolver as coisas da melhor maneira”, afirmou ao NT/TrofaTv.

O incêndio deixou as cinco pessoas sem casa, mas também afectou Pedro Martins, a mulher e os três filhos. A habitação onde vivem fica ao lado da que ardeu e não sofreu danos, graças à acção dos Bombeiros, mas por precaução também foram realojados numa pensão.

“Existe sempre o risco de a casa que está contígua à casa que ardeu ruir ou haver outro tipo de problema, pelo que esta família composta por dez pessoas não pode ficar enquanto a situação não estiver estabilizada”, adiantou a autarca Teresa Fernandes, que garantiu ainda: “A melhor solução para eles nos próximos tempos é serem acolhidos numa pensão. Posteriormente iremos analisar o caso e arrendar uma casa mais perto, porque eles estão habituados a este espaço”.

O incêndio fustigou todo o património que a família possuía. Por isso, Teresa Fernandes apelou à solidariedade para ajudar as vítimas. “São duas pessoas idosas e três pessoas adultas, que são três filhos solteiros” que precisam de ajuda “pelo menos com aqueles bens essenciais”, que poderão ser entregues na Junta de Freguesia de S. Romão do Coronado e na sede da ASCOR.

No local estiveram oito elementos da corporação dos Bombeiros Voluntários da Trofa, cinco dos quais da Equipa de Intervenção Permanente, apoiados por quatro viaturas. A corporação da Trofa teve ainda a ajuda da Protecção Civil e dos Bombeiros de Moreira da Maia que se deslocaram numa viatura de combate a incêndios com quatro elementos. A GNR da Trofa registou a ocorrência e ordenou o trânsito, que esteve cortado naquela rua durante mais de uma hora.