A já popular "Semana da Poesia" arranca na próxima quinta-feira, dia 15 de Março. Até dia 21 de Março (Dia Mundial da Poesia), Santo Tirso vai ser palco de diversas iniciativas cujo objectivo é exaltar e enaltecer esta arte da declamação. Com um programa preenchido e completo, o destaque vai para a Homenagem a José Tolentino de Mendonça, a Procissão da Poesia e as 24 horas de poesia, iniciativas com datas marcadas para 17, 18 e 21 de Março, respectivamente. 

Homenagem a José Tolentino de Mendonça

No sábado, dia 17 de Março, pelas 21h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Santo Tirso, a homenagem, pela vida e obra, vai ser dedicada a José Tolentino de Mendonça. Teólogo, poeta, dramaturgo, ensaísta e padre, refere que a "A linguagem que melhor traduz a relação com a transcendência é muito próxima da poesia, uma linguagem simbólica, aberta, fulgurante. A oração é a possibilidade de estabelecer uma relação com o silêncio sagrado." É à luz desta afirmação, imbuída no silêncio conventual e dos mosteiros, que a Câmara Municipal de Santo Tirso apresenta este ano a "Fé na Poesia", como tema de "A Poesia está na Rua". A vida e obra de José Tolentino de Mendonça serão apresentadas pela professora Maria João Reynaud. 

Procissão Poética

A aliança entre a fé, o divino e a tradição têm o seu apogeu no domingo, dia 18 de Março. Com partida marcada para as 15h30, na Praça 25 de Abril, um grupo de «dizedores», acompanhando um carro de bois, vai percorrer as principais artérias da cidade, enchendo-as não só de poesia mas também das mais tradicionais e secretas especialidades conventuais. A "Procissão Poética" vai abrilhantar o dia com declamações sentidas, acompanhadas de Licor de Singeverga (confeccionado pelos monges de Singeverga) e as famosas bolachas conventuais (feitas pelas freiras do Mosteiro de Santa Escolástica).  
 

24 horas de poesia

A culminar esta quarta edição de poesia levada a efeito pela Câmara Municipal de Santo Tirso, temos as já afamadas "24 horas de poesia" que este ano vão ser marcadas pelo "Roteiro dos Conventos" em que os mosteiros abrirão as suas portas para acolher todos os interessados em ouvir, através da poesia ou de outras formas de expressão escrita, o testemunho público da experiência vivida pelos poetas no silêncio conventual. Com início marcado para as 20h00 de dia 20 de Março, esta maratona da poesia vai arrancar com um jantar poético, seguido de leituras de poemas na rádio local (Nova Rádio Voz de Santo Tirso). Pelas 10h30 de dia 21 de Março, as "24 horas" continuam e o Mosteiro de S. José acolhe os versos com um recital de poesia. A maratona prossegue pelo Mosteiro da Visitação (13h30), Mosteiro de Santa Escolástica (15h30) e Mosteiro de Singeverga (17h30) onde, para além de um recital de poesia, se irá proceder à evocação do poeta Daniel Faria, à oração de Véspera e Canto dos Salmos. Pelas 20h00, a poesia completa as suas "24 horas" pelas ruas de Santo Tirso, agora com um jantar convívio que contará com a presença dos poetas que permaneceram em clausura nos Mosteiros. Como a poesia é a palavra do dia, este convívio vai ser animado por uma sessão de poesia e música. 

Poetas em Retiro Conventual

Fernando Echevarria, Daniel Maia-Pinto Rodrigues, Ivo Machado, Aurelino Costa, Ana Luísa Amaral e Maria João Reynaud são alguns dos poetas que aceitaram este desafio e, em prol da poesia, vão permanecer em regime de clausura nos vários mosteiros do Concelho de Santo Tirso durante uma semana (de 15 a 21 de Março). É deste património ímpar de que o concelho de Santo Tirso dispõe que a Câmara Municipal pretende dar testemunho. Homens e mulheres que "aprendem a viver com o essencial renunciando ao supérfluo". E para melhor interiorizarem este espírito de clausura, os poetas vão poder guiar-se pelo quotidiano dos conventos e mosteiros, experimentando assim as suas rotinas. Desde as 06h30 da manhã, hora a que iniciam o seu dia, até à hora de deitar, 21h30, o "dia monástico" inclui momentos de meditação, laudes, eucaristia, leitura, trabalho e oração, momentos esses que vão ser acompanhados e partilhados pelos poetas.