Um indivíduo de 60 anos encontra-se desaparecido há cerca de duas semanas de S.Mamede do Coronado. Manuel Augusto Santos Oliveira foi visto pela última vez no dia 30 de Janeiro à noite, vestido com umas calças castanhas, uma gabardine e uma capa de chuva transparente. Trata-se da segunda vez que Manuel Oliveira se ausenta de casa por um período longo de tempo, depois de um primeiro desaparecimento há cerca de dois anos, em que esteve cinco dias fora de casa.

 “Na sexta-feira (30 de Janeiro) o meu irmão saiu de casa à tarde e não entrou mais”, afirmou Maria de Lurdes Oliveira, irmã de Manuel Oliveira, em declarações ao NT. No dia 30 de Janeiro, Manuel Oliveira, que vive com a mãe de 85 anos, esteve no supermercado da irmã como é habitual, onde almoçou por volta das 13 horas. “Almoçou comigo, foi para casa e depois nunca mais o vi, mas muitas pessoas viram-no durante a tarde e à noite, com uma capa de chuva transparente, porque naquele dia chovia muito”, adiantou Maria de Lurdes, acrescentando que já procurou o irmão em todo os sítios onde ele costuma passar o seu tempo.

“Aguardámos alguns dias porque pensávamos que ele voltava como já tinha acontecido uma vez, mas começámos a ficar aflitos e contactamos a Polícia”, afirmou. De acordo com Maria de Lurdes, este é o segundo desaparecimento de Manuel Oliveira que, há cerca de dois anos, esteve cinco dias ausente sem dar notícias. “Viajou de comboio até Lisboa, mas como foi sem documentos foi detido pela polícia”, contou Maria de Lurdes, referindo que o irmão veio de boleia até de Leiria e de Leiria foi para casa a pé. “Chegou irreconhecível, fraco de fome e com a memória muito fraca”, segundo a irmã.

Maria de Lurdes acredita que a explicação para o desaparecimento está nas perturbações psicológicas relacionadas com traumas de guerra de que Manuel Oliveira sofre, consequências do período em que esteve no Ultramar. “O meu irmão regressou do Ultramar muito mau e revoltado, só via guerra e ouvia tiros”, afirmou, acrescentando que Manuel “chegava a dizer que ia chegar fogo à casa”.

Manuel Oliveira, solteiro, vive com a mãe de 85 anos na Rua Água de Levada, em S.Mamede do Coronado e recebe um rendimento mínimo, no valor de 185 anos. A família participou o desaparecimento à Guarda Nacional Republicana, que se encontra a fazer as diligências no sentido de localizar o desaparecido.

Qualquer informação sobre o paradeiro deste homem deve ser dada à Guarda Nacional Republicana da Trofa atraves do numero 252 499 180 ou para a irmã Maria de Lurdes através do numero 229812457.