A GNR da Trofa desencadeou uma operação que resultou na detenção, em flagrante, de um indivíduo que tentava vender uma arma furtada.

Liliana Machado não ganhou para o susto quando, na noite de terça-feira, se deparou com um cenário “digno de um filme”. Acompanhada pela irmã e da sobrinha menor, circulava de automóvel na Rua da Samogueira, em Santiago de Bougado, cerca das 23 horas, quando ao passar “junto de uma habitação” se deparou com “uma viatura descaracterizada a barrar a passagem e vários agentes à civil, armados”. “Pediram para desligar o carro, porque naquele local decorria uma operação policial”, contou ao NT, momentos depois, já refeita do acontecimento.
A operação, desencadeada pela Guarda Nacional Republicana da Trofa, incidia sobre a suspeita de existirem armas ilegais guardadas numa habitação situada naquela rua.
A ação policial partiu de uma denúncia feita na GNR de que, alegadamente, naquele local estava prestes a ser efetivada a venda de uma arma. Com o apoio do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Matosinhos e de militares do posto territorial de Alfena, nove efetivos deslocaram-se para o local e, à porta da casa, apanharam em flagrante um indivíduo a vender uma caçadeira calibre 12, que depois foi identificada como tendo sido furtada num assalto realizado numa habitação no concelho da Trofa, no final do ano de 2016.
Na sequência da detenção, e com a autorização do suspeito, os militares procederam a buscas na habitação, tendo encontrado ainda duas armas de ar comprimido, um revólver antigo mas funcional calibre 0.32, duas pistolas de ornamentação, cerca de 20 cartuchos de 12 miímetros m e uma caixa de chumbos 4,5, num total de 250 munições. Todo o material foi apreendido e o indivíduo, com 62 anos, constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência. O caso baixou a inquérito pelo Ministério Público, que vai prosseguir a investigação.