Henrique Araújo terminou mandato e não se recandidata à liderança do Guidões Futebol Clube.

O futuro do Guidões Futebol Clube é uma incógnita. O presidente da direção, Henrique Araújo, terminou o mandato e garantiu ao NT que não se recandidata. Recentemente, realizou-se uma assembleia para apresentação de contas e realização de eleições dos novos corpos sociais, mas nenhuma lista foi entregue ao presidente da Assembleia-geral. Joaquim Ferreira adiantou que “para todos os efeitos, o Guidões FC continua a ter órgãos sociais, porque, apesar de o mandato ter terminado, nenhum elemento da direção apresentou a demissão”.

No entanto, será convocada uma assembleia “para o início de setembro”, na qual Joaquim Ferreira acredita que “irá aparecer uma lista ou um conjunto de pessoas que tomarão as rédeas da associação e levar o Guidões para a frente”.

O presidente da Assembleia-geral garantiu ainda que o “Guidões nunca irá cair num vazio diretivo”, escusando-se a sustentar a convicção.

Apesar de ter sido “pressionado para continuar”, Henrique Araújo decidiu não se recandidatar, assumindo estar “cansado”. “É desgastante e dá muito trabalho. Já estive quatro anos e desta vez acho que é altura de serem outras pessoas a tomarem conta da associação. Eu vou continuar a acompanhar”, explicou. Sem saber se os restantes elementos da direção vão continuar, o ainda presidente da coletividade frisou que “as camadas jovens têm muita capacidade técnica”, pelo que “é uma pena que isso se perca”.

Henrique Araújo fez um balanço positivo do mandato, no entanto lamentou o facto de “em termos de obra, não ter sido possível fazer o pretendido”. Já no que toca aos resultados desportivos as épocas “correram muito bem”. “Fomos campeões em vários escalões”, sublinhou.

Antes de Henrique Araújo tomar posse, o Guidões Futebol Clube esteve dois anos sem direção.

 

{fcomment}