Oito grupos participaram no primeiro Encontro Concelhio de Reisadas/Janeiras – Trofa 2011, que decorreu, no domingo, no Salão Polivalente dos Bombeiros Voluntários da Trofa.

Uns vinham trajados a rigor, outros nem por isso, mas com as vozes afinadas cantaram as janeiras e os reis no primeiro Encontro Concelhio de Reisadas/Janeiras da Trofa. O Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, o Grupo Paroquial Jovens Unidos, de S. Mamede do Coronado, o Rancho Folclórico da Trofa, a Comissão de Fábrica de Guidões, o Rancho das Lavradeiras da Trofa, o Centro Comunitário Municipal da Trofa, o Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado e a Comissão de Festas em honra de Santa Eulália, de S. Romão do Coronado, subiram ao palco para cantar e encantar.

O Salão dos Bombeiros Voluntários da Trofa, em S. Martinho de Bougado, encheu-se de espectadores que não perderam nenhuma actuação.

Promover os usos e costumes do concelho é o objectivo da Câmara Municipal, que fez um balanço positivo da iniciativa. “Tivemos a oportunidade de ver oito grupos, uns mais formais do que outros, porque tivemos Ranchos Folclóricos devidamente organizados e grupos informais que se organizam para este tipo de actividades e não só. Acabo de constatar que nós temos uma riqueza enorme neste campo, basta ver que cada grupo interpretou em média quatro canções e não houve repetições”, explicou José Magalhães Moreira, vice-presidente da autarquia.

Esta é “uma iniciativa para continuar” porque, de acordo com Magalhães Moreira, “não tem custos, enriquece muito a cultura e perpetua as tradições”.

Depois de andar de porta em porta a cantar as janeiras, a Comissão de Fábrica de Guidões aceitou o convite da autarquia para representar a freguesia. Ramiro Sousa, um dos membros da comissão, lembrou que o grupo “é amador” mas, a actuação este domingo “não correu mal”.

“A residência paroquial estava abandonada e restaurámo-la. Temos oito salas para a catequese, no entanto não existe um salão paroquial em Guidões, embora haja já um terreno onde o queremos construir. Enquanto não é possível edificar o salão, vamos construir um pavilhão, junto à Casa Paroquial para colmatar essa falha”, adiantou, explicando assim o facto de terem andado pelas ruas a cantar: “Angariar fundos para a construção desse espaço”, que “até à Primavera estará pronto”.

O Rancho Folclórico da Trofa também percorreu algumas casas cantando as janeiras e “o povo foi solidário”. “Isto é uma forma de reviver as tradições e é importante dizer que é do cantar das janeiras que as instituições sobrevivem”, afirmou Alcino Paixão, presidente da colectividade. A iniciativa da autarquia de juntar os vários grupos foi elogiada mas, por ser o primeiro encontro, Alcino Paixão deixou uma sugestão: “Deve fazer-se isto mais vezes, mas com determinação e com respeito uns pelos outros”.

O primeiro Encontro de Reisadas/Janeiras terminou com a subida de todos os grupos ao palco para receberem uma lembrança e cantar a última música em conjunto.