Começa a ser uma prática habitual as operações da Guarda Nacional Republicana nas estradas da Trofa. Esta sexta-feira 330 veículos foram fiscalizados numa acção que pretende combater a criminalidade violenta no concelho.

 A Guarda Nacional República continua a desencadear acções de patrulhamento nas estradas da Trofa. A luta contra a criminalidade violenta é o principal objectivo destas “operações stop”, que se realizaram mais uma vez em S. Romão do Coronado e no centro da cidade, nas artérias de apoio à Nacional 14 e 104.

Na operação, que decorreu na noite de sexta-feira entre as 21 horas e uma da madrugada, estiveram envolvidos 26 militares da Guarda, com duas equipas de intervenção e uma esquadra a cavalo, com seis militares.

Foram fiscalizados 330 veículos e levantados 46 autos por desrespeito ao Código da Estrada. Foram ainda feitos 20 testes de alcoolemia, tendo um deles acusado quantidade de álcool superior ao permitido por lei. O condutor foi detido e notificado para apresentar-se a tribunal.

Nesta operação foi ainda fiscalizado um estabelecimento de diversão nocturna de Santo Tirso, cujos proprietários foram notificados por terem seguranças a trabalhar ide forma irregular.

Em declarações ao NT/TrofaTv, o Comandante do destacamento de Santo Tirso, Capitão Rui Silva afirmou que esta operação “insere-se em muitas outras que já decorreram na zona da Trofa e está vocacionada para o combate à criminalidade violenta”. O objectivo é “criar algum sentimento de insegurança para quem pretenda cometer algum tipo de crime”, já que a qualquer momento a GNR pode estar a fiscalizar na via pública.

As operações têm sido desencadeadas “em horários diferentes”, explicou o capitão, ao fim da tarde, pois é a altura de encerramento de estabelecimentos em que, por norma, há mais dinheiro em caixa, e à noite, para evitar o crime com recurso à arma de fogo, como o carjacking.

 

Nesta operação esteve envolvido todo o destacamento de Santo Tirso, com militares da Trofa, Santo Tirso, Vilas das Aves, Alfena e Valongo.