No passado Domingo a Trofa votou.

Fê-lo, como tem sido hábito, dentro de um verdadeiro espírito democrático, tolerante e no exercício pleno da cidadania.

 

A forte afluência dos trofenses ás urnas quis significar o real e verdadeiro empenho de todos na construção de um concelho cada vez melhor.

O povo votou e o PPD/PSD ganhou. Cabe-nos assim a responsabilidade de nos próximos quatro anos governar o Concelho da Trofa.

Temos consciência de que a votação no PPD/PSD não atingiu os números de há quatro anos, naturalmente porque as circunstâncias políticas de agora são bem diferentes, naturalmente também porque houve desgaste no exercício do poder.

É bom, no entanto, perceber as mensagens desta menor votação, as de leitura directa e objectiva mas também as interpretações mais subreptícias e mais subjectivas. Temos, naturalmente, que reflectir, pensar e definir a melhor estratégia para a governação do concelho neste próximo mandato. Nada que nós no PPD/PSD não estejamos desde já preparados para fazer.

É necessário que fique bem claro, que a legitimidade do PPD/PSD para conduzir os destinos da Câmara Municipal não foi minimamente posta em causa.

Vencemos a eleição para a Câmara Municipal com maioria. Temos o maior número de Juntas de Freguesia do concelho, cinco em oito, temos maioria na Assembleia Municipal no total dos seus membros ( eleitos directos mais presidentes de junta).

É verdade que o PPD/PSD perdeu duas presidências de Junta de Freguesia, uma das quais, S. Martinho de Bougado, pela sua relevância eleitoral e fazendo parte da sede do concelho, assume particular destaque. Agora há que esperar pela gestão do novo presidente da junta e depois cá estaremos para avaliar.

Em democracia, independentemente dos méritos ou deméritos de cada um, quem vence governa e depois o povo na sua magnânime sabedoria julga.

No que ao PPD/PSD diz respeito, merece ainda uma particular atenção a perda de um vereador na eleição da Câmara Municipal.

Neste caso em particular acabou por não ser eleito o Sérgio Humberto pela lista do PPD/PSD. Qualidades não lhe faltam, e embora sendo jovem, mostra já um pensamento político bem estruturado, disponibilidade para a causa pública e capacidade de trabalho e empenho naquilo em que acredita.

Para o Sérgio Humberto, para o Manuel Pontes ( S. Martinho), para o Abel Araújo ( Muro) e Joaquim Ferreira ( Guidões), uma palavra de reconhecimento e apreço pelo trabalho que desenvolveram na convicção de defender o melhor para o Concelho da Trofa e cada freguesia em particular. Como alguém disse há uns meses atrás, não se esqueçam “ de andar por aqui”, porque o vosso contributo faz falta ao nosso concelho.

Para os que venceram as eleições, uma palavra de felicitação e que o trabalho que vamos desenvolver nestes quatro anos seja o melhor para o Concelho da Trofa.

Na Câmara Municipal, a convicção da maioria do PPD/PSD é clara. Manter o rumo de desenvolvimento do Concelho da Trofa com trabalho, empenho, dedicação, competência e eficácia. Projectos e ideias não nos faltam, os recursos e o tempo são limitados, vamos hierarquizar prioridades e gerir com critério e seriedade.

Os trofenses podem estar seguros de uma coisa. Não descansaremos até que a Trofa seja o Município “top” em Portugal e por isso vos agradecemos a confiança que em nós depositaram para atingir este objectivo.

Porque no Domingo passado ganhou o Concelho da Trofa.

 

 

António Pontes