Um local com mais cor para tornar os estudos mais atrativos e aprender num espaço feito a pensar em si. O Centro de Estudos Dona Coruja abriu, no início de setembro, no AlvaCenter, no Muro.

Enquanto faz atividades desportivas e culturais, o seu filho pode ficar no Centro de Estudos a frequentar explicações ou ocupação dos tempos livres. Com a abertura do Centro de Estudos Dona Coruja, no Muro, esta situação passou a ser possível. Se os pais ou encarregados de educação precisam de um tempo só para si para ir ao médico, às compras ou a outro local, já tem onde deixar a sua criança.

A ideia de reabrir o centro de estudos do AlvaCenter, que estava fechado, surgiu, segundo Mara Teixeira, diretora do Dona Coruja, por este ser “um centro de atividades desportivas e culturais onde tem bastantes adultos e crianças a frequentar”, sendo “uma boa complementação para a educação delas”. “Assim podem aliar o exercício físico à educação”, complementou.

O centro de estudos foi “remodelado” com “cores muito bonitas” e “equipado”, sendo um espaço “atrativo para as crianças aprenderem e brincarem entre si”. O nome do Centro de Estudo – Dona Coruja – tem a ver com o facto de a coruja ser um “animal relacionado com a sabedoria”.

Aberto de segunda a sexta-feira entre as 9 e as 21 horas, fechando para almoço, o centro de estudos dispõe de cinco vertentes: Apoio ao Estudo, Explicações, Ocupação de Tempos Livres, organização de festas de aniversário e de workshops. Composto por quatro salas, uma é dedicada ao apoio ao estudo “até dez crianças”, duas para explicações e outra de lazer, com “material pedagógico-didático, desde livros, instrumentos musicais e material para expressão plástica”. “Os centros de estudo funcionam para dar apoio ao estudo e à educação, este espaço já é livre para a criança brincar”, afirmou.

O apoio ao estudo é “mais destinado até ao 3.º ciclo”, onde é feito, “em grupo”, um “acompanhamento aos trabalhos de casa ou de alguma matéria que o aluno tenha dúvidas”. Nas explicações individuais, o aluno já tem “um acompanhamento individual ou pares”, consoante a escolha do encarregado de educação. “Por exemplo, há alunos que têm dificuldade nas línguas, é selecionado um professor para poder ajudar nessas áreas. É uma explicação mais específica e de acordo com as dificuldades dos alunos. Já é mais dedicado ao nível secundário ou superior, onde as disciplinas já começam a ficar mais individualizadas e as dificuldades dos alunos também mais marcantes”, explicou.

Outra das vertentes é as festas de aniversário, que podem ser organizadas no centro de estudos, “devido às boas condições das salas”, mesmo ao fim de semana.

Os pais têm “várias opções” de escolha, desde “o aluguer do espaço, o aluguer do espaço mais animação ou a organização de toda a festa desde os convites, aos presentes, à alimentação e animação”.