A equipa de futsal de Cabeçudos, Vila Nova de Famalicão, lidera a série A da 3ª Divisão Nacional.

Esta notícia até podia passar ao lado da atualidade do concelho, não fosse a equipa ser composta por dez elementos, entre treinadores e jogadores. O técnico Marco Balela foi a escolha do presidente do clube, Ricardo Costa, que definiu “uma estratégia para a afirmação do Cabeçudense no panorama do futsal”. “Tendo em conta a minha experiência na modalidade, o presidente considerou que eu seria o mais indicado para assumir o cargo de treinador. Aceitei na hora e agradeço-lhe pela confiança que depositou em mim para o desenvolvimento deste grande projeto”, afirmou, em entrevista ao NT.

Abraçou o projeto há cinco anos, quando a equipa ainda estava no campeonato concelhio. A temporada que se seguiu foi “fantástica”, contou. “Na época seguinte, fomos para a 1ª Divisão distrital para uma fase de adaptação que correu muito bem, principalmente nos jogos em casa, com apenas duas derrotas. No segundo ano ficamos em 4º lugar, a apenas um ponto da subida, e no seguinte atingimos alguns objetivos impensáveis. Ficamos em 1º lugar, com 11 pontos de avanço sobre o 2º classificado, vencemos a Taça da Associação de Futebol de Braga, feito que até hoje ninguém conseguiu alcançar desde que existe futsal no distrito, ou seja, alcançar a ‘dobradinha’ e a consequente subida à 3ª Nacional”. Para a história dessa época fica também o facto de o Cabeçudense ter sido “a terceira equipa a nível nacional com mais golos marcados”.

O facto de o plantel ser composto por muitos jogadores da Trofa surgiu naturalmente: “Estando mais tempo na terra, conheço melhor os jogadores da Trofa. Propus ao clube os que considero serem os melhores da cidade e levei-os comigo”.

Alguns deles passaram pelo futebol profissional. Até há bem pouco tempo, Rui Borges, 39 anos, era o cérebro do meio campo do Trofense, entre as épocas 2007 e 2009, e agora “faz uma perninha” no futsal, com a camisola do Cabeçudense. Também Zé Miguel pertenceu ao Trofense, na época de subida à 2ª Liga, em 2005/2006, e parte da temporada 2007/2008, e Ricardo Costa defendeu, há pouco tempo, as cores do Bougadense.

A temporada que está a decorrer é classificada por Balela como “extraordinária”. Lideram o campeonato, chegaram até à 3ª eliminatória da Taça de Portugal (na qual perderam por 5-6 com o GS Loures). Os resultados, sublinha, são “fruto da dedicação e apoio da direção, mas principalmente dos grandes jogadores e amigos” que tem à disposição. Tendo em conta que os objetivos delineados ao início da temporada passavam por garantir a manutenção, o percurso está a ser bem trilhado. “Iremos lutar pelo melhor lugar possível”, sublinhou. “A direção tem feito um grande esforço, principalmente o presidente Ricardo Costa, para assegurar as melhores condições para treinarmos, pois os recursos são escassos. Somos uma equipa humilde e com carácter, jogamos apenas pela amizade forte que nos une, por isso os resultados acontecem. Aproveito para agradecer pelo notável trabalho, empenho e dedicação de todos – direção, equipa técnica e jogadores”, concluiu.

{fcomment}