aniversário-Guidões-FC-24

Cinquenta anos de memórias, uma festa carregada de nostalgia e esperança por um futuro melhor para a associação. Foi desta forma que começaram as comemorações de meio século de existência do Guidões Futebol Clube.

A primeira iniciativa, uma palestra que decorreu no salão paroquial da freguesia, juntou fundadores e antigos presidentes da coletividade, que contaram como tudo começou e dos momentos mais marcantes nestes 50 anos de desporto amador.

Das camionetas apinhadas de gente para ver o Guidões jogar em Santo Tirso, aos dérbis com o Alvarelhos que tinham transmissão na rádio, passando ainda pelas famosas bifanas do senhor Armando, repasto para muitos nos intervalos dos jogos, e pela largada de paraquedistas. Vários foram os momentos recordados pelos antigos dirigentes.

António Campos, por exemplo, não vai esquecer “o dia em que foram colocadas as primeiras balizas no campo”. Bernardino Maia e Aires Silva complementaram com a “instalação elétrica”, em 1982.

Já Jaime Guimarães recorda os momentos áureos do clube, no campeonato concelhio de Santo Tirso, em que “os árbitros prejudicavam muito a equipa”, mas foram incapazes de impedir que o emblema vencesse “a supertaça, no campo de Vila das Aves, frente ao Lamelas”, com um triunfo por “3-1”.

Silvino Silva lembrou do golo que marcou ao Tougues, que possibilitou a vitória do Guidões por 3-2 e valeu o campeonato. Os momentos mais caricatos, como “roubar areia e pedras das bouças para fazer o muro em frente aos balneários” e alisar o campo com “uma grade” amarrada ao automóvel foram outros momentos recordados pelo ex-presidente do Guidões FC. “

Já Henrique Araújo falou do triunfo da equipa de futebol de 11, há cerca de uma década, que venceu tudo o que estava em jogo: campeonato, taça e supertaça, além de ter o melhor marcador.

Comemorações também servem como operação de charme

As memórias perduram, mas não seguram o clube. Atualmente sem direção, o Guidões precisa de assentar arraiais. Joaquim Ferreira, responsável pela comissão administrativa, espera que estas comemorações “abram a mentalidade de algumas pessoas, para que se virem mais para a associação”. Uma assembleia-geral vai ser marcada para que o clube possa ir a eleições e ter uma direção.

Um dos problemas que continua a persistir no seio da coletividade é a falta de instalações com condições para a prática desportiva, uma vez que o campo de futebol, da responsabilidade da autarquia, está votado ao abandono. Joaquim Ferreira sublinhou que “está a ser preparado um projeto” para solicitar à autarquia “um acordo” que delegue no clube mais competências sobre o campo, “para ser possível fazer várias atividades e chamar as pessoas”.

O presidente da Comissão Administrativa espera que o futuro seja mais risonho do que as últimas temporadas. “O ano da comemoração dos nossos 50 anos foi o que teve menos atividade”, sublinhou, depois de recordar que o clube já teve “cerca de 80 atletas a competir” nos campeonatos amadores.

Joaquim Ferreira ressalvou que, quando os campeonatos concelhios recomeçarem, deverá haver também um para os seniores, a fim de os jovens que terminaram os escalões jovens sigam na prática desportiva. “Existe uma décalage muito grande em passar de camadas jovens para veteranos. As pessoas, se quiserem praticar desporto, têm que ir para fora da freguesia e muitas vezes para fora do concelho”, assinalou.

As comemorações dos 50 anos do Guidões FC encerram a 16 de agosto, com um dia desportivo, que começa às 10 horas e no qual se inclui uma prova de BTT, às 16 horas.