Quando há dias estava em Braga e, no café onde tomei o pequeno almoço, pedi um café e um "pastel de Nata" e ao pagar, dado o preço praticado, maquinarmente senti uma dose de indignação em relação aos preços praticados aqui na nossa cidade da Trofa, a qual, eu aprendi a amar já lá vão quase 40 anos! O preço do "Pastel de Nata" que paguei em Braga, custou-me 0.50 euros (cinquenta cêntimos) e aqui na Trofa, nos dois cafés que frequento e, ambos os dois, muito centrais e modernos o preço praticado é de 0.75 euros (setenta e cinco cêntimos).

  É possível que haja outros estabelecimentos aqui na nossa cidade da Trofa, que pratiquem preços mais módicos! Estes dois cafés levam 0.75 euros (setenta e cinco cêntimos) aqui no nosso burgo!

Faço aqui um apelo aquém de direito, para salvaguardar o consumidor vitima destas agressões da nossa actualidade… que são os preços livres – cada um o que quer é que nós pagamos e não bufamos!

Que saudades eu tenho, nalguns domínios, do antigamente!

Mantinha uma melhor justiça social no que toca a preços e não só. Que me perdoem aqueles que foram mais honestos e justos, os tais mentores e pseudo-donos do 25 de Abril de 1974; foram eles os donos destes erros de 1974 – 1975, erros esses que nos têm conduzido a esta libertinagem conseguida.

Porque foi que não se aproveitaram as instituições e organismos que funcionavam bem no tempo do "estado novo"? Porque não se melhoraram e até se aproveitaram todos os organismos que estavam bem no tempo da outra senhora? Enfim, foi a onda do comunismo totalitário, prestes a sucumbir em todo o Mundo e, muito pior, do que foi o "Salazarismo" tudo quanto se viveu nos dois primeiros anos, logo a seguir a 1974, pois, nem tudo funcionava mal no tempo da outra "senhora". A educação funcionava e preparava os homens e mulheres deste país para a vida do trabalho – os correios (CTT) eram os melhores da Europa – a Junta Autónoma das estradas, tinha sempre as estradas limpas com os seus cantoneiros a zelar por elas – a polícia de segurança viação e transito até pneus mudava aos automobilistas e foi no "estado novo" que se fundou a segurança social!… Pois bem, nem tudo estava mal.

Perdoem-me o desabafo – mas hoje em dia eram preciso 18 Salazares, para ser um em cada distrito, dado que são 18 os distritos ainda existentes neste nosso Portugal, que tanto amo, e que um dia beijei a sua bandeira na vida militar.

Até sempre

Valdemar Silva