A selecção da Trofa terminou o torneio Dr. Adriano Pinto da melhor maneira com um triunfo sobre a Selecção da Póvoa do Varzim por uma bola a zero. Arrecadando o terceiro lugar da série dois desta iniciativa que já vai na quinta edição, o técnico Paulo Pereira congratulou todos os seus atletas, que mostraram ter “respeito pelo adversário e companheirismo no seio da equipa”.

À semelhança do que tinha acontecido na primeira volta, na Póvoa do Varzim, a selecção concelhia da Trofa venceu a selecção local com um golo ao cair do pano. Esta vitória coloca um ponto final na participação da equipa trofense, que com dez jornadas efectuadas somou três triunfos e cinco desaires.

O domínio imposto pelos comandados de Paulo Pereira ao adversário foi constante durante a primeira parte com várias oportunidades falhadas pelos avançados, devido a falta de calma e discernimento ofensivo. Contudo a réplica poveira era indefesa, devido à solidez do sector defensivo apresentado pela Trofa e que se revelou o mais aperfeiçoado ao longo do torneio.

Dos jogadores que compõem sector mais recuado do terreno, Jorge Dias destaca-se pela invulgar maturidade e segurança em campo que demonstra, tendo em conta o escalão que representa. A precisão do passe, aliada à boa desmarcação deste central, contribuiu para a maioria dos lances de ataque desenhados pela selecção trofense.seleccao-trofa_net.gif

Apesar da superioridade, a Trofa não conseguia visar a baliza adversária. A meio da primeira parte um lance de ataque, iniciado por Jorge Dias não teve o melhor seguimento por João, que cabeceou por cima do travessão. Já o lance mais perigoso da selecção de Póvoa de Varzim surgiu dos pés de Ricardo, que descaído sobre o flanco esquerdo e sem oposição, também rematou por cima da baliza.

Depois do descanso a toada ofensiva continuou do lado dos jogadores da casa. Todas as investidas ofensivas eram desperdiçadas, até que mesmo sobre o apito final do árbitro e na sequência de um lance de bola parada, a Trofa conseguiu o golo que sentenciou a partida.

Três pontos merecidos e que asseguram o terceiro lugar à selecção trofense na série dois da quinta edição deste torneio, que mais uma vez fez jus ao objectivo delineado para a sua realização: implementar junto dos jovens a importância do fair-play tanto dentro, como fora das quatro linhas.

Paulo Pereira fez balanço muito positivo

Três meses depois do início do torneio, Paulo Pereira retira desta experiência uma lição positiva: “este tipo de torneio é cheio de factores positivos. Primeiro é o facto de darem a oportunidade aos jovens de jogarem em campos com relvado, uma experiência que maioria destes atletas não têm. Depois é o espírito em que estes jogos se enquadram, em que as equipas, mais do que os resultados, valorizam o fair-play e o respeito pelo adversário, o que torna os jogos de futebol muito mais aliciantes”, referiu ao NT. O que mais lhe agrada é terminar este período e chegar à conclusão “que nada de negativo há para apontar”.

Relativamente à evolução da equipa, o treinador trofense só lamenta que o torneio tenha terminado, “logo agora que estávamos no bom caminho e a rubricar excelentes exibições”. A diferença de maturidade que os atletas tinham quando começaram a jogar e actualmente “é notória”, o que se reflecte “numa maior responsabilidade evidenciada por eles, o que os ajudará não só dentro de campo, como no dia-a-dia”.

Questionado sobre a qualidade do central Jorge Dias, jogador que mais se evidenciou do plantel apresentado pela selecção da Trofa, o técnico reconheceu o seu valor “acima da média” e que apresenta “uma maturidade muito superior ao resto da equipa”. O facto de logo no primeiro ano disputar o campeonato nacional de iniciados, dá-lhe “maior capacidade de chegar a estes jogos e encará-los de maneira diferente”. Contudo para Paulo Pereira o mais importante foi o companheirismo e exibição da equipa: “estão todos de parabéns, tiveram uma postura muito positiva e revelaram-se muito mais maduros que no início do torneio”.

 

Treinador da selecção da Póvoa do Varzim – Noé Lopes

“Este jogo foi muito idêntico ao da primeira volta, porque voltamos a sofrer o golo mesmo a acabar o jogo. O golo acabou por castigar um erro de marcação dos meus jogadores. No entanto ganhou quem mereceu. Faço um balanço muito positivo deste torneio, já estou no comando desta selecção há quatro anos consecutivos e temos desenvolvido um bom trabalho junto da nossa selecção. Para o ano esperamos melhorar e assinalar bons jogos”.

 

Treinador da selecção da Trofa – Paulo Pereira

“Neste tipo de jogos em que há um domínio mais evidente de uma equipa, eu defendo que quem marca merece ganhar. E o que aconteceu é que marcamos e merecemos o triunfo. Contudo se a equipa da Póvoa marcasse também não me iria opor. Fomos mais equipa, estamos de parabéns, tivemos alguma felicidade com a obtenção do golo mesmo a acabar, mas o resultado é justo”.

Cátia Veloso

V Torneio Dr. Adriano Pinto

10ª Jornada

Jogo: Estádio Clube Desportivo Trofense

Trofa: Hélder, Telmo, Sérgio Pereira, Jorge Dias, Diogo Oliveira, Rui, Carlos, Rui Casimiro, Zé Miguel, João e Ruben

Treinador: Paulo Pereira

Póvoa de Varzim: Ricardo, Ricardo Craveiro, Alberto, Tiago, Tiago Almeida, Eduardo, António, Diogo, André, Ricardo e Carlos

Treinador: Noé Lopes

Resultado ao intervalo: 0-0

Resultado final: 1-0