A novidade da 9ª edição do Festival de Folclore 2007 foi a presença de um grupo brasileiro o DCG Província do Quero – Quero – Rio Grande do Sul do Brasil.

A Trofa transformou-se na capital do folclore este fim-de-semana, com mais uma edição do festival que já se realiza há 9 anos. Ao todo, 12 grupos encheram o Parque Dr. Lima Carneiro de espectadores com a festa das danças e cantares tradicionais. O Festival de Folclore 2007, da responsabilidade da autarquia trofense, através do Pelouro da Cultura foi um sucesso e promete repetir-se por mais anos.

"Aquando a criação do concelho da Trofa queríamos criar um evento para comemorar o folclore. Achamos desde a primeira hora que faria todo o sentido honrar os grupos que mantinham vivas as tradições dos nosso antepassados nfestival-folclore.jpga Trofa e realizar um festival todos os anos, com os grupos todos do concelho e com grupos que fossem convidados para estarem nestes festivais". Foi desta forma que António Pontes, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa explicou como surgiu a ideia de organizar este festival.

A novidade da 9ª edição deste Festival foi a presença de um grupo brasileiro o DCG Província do Quero – Quero – Rio Grande do Sul do Brasil, "que honra e de que maneira a organização deste festival", revelou António Pontes.

No futuro a intenção da Câmara Municipal da Trofa é "continuar a apoiar o trabalho dos grupos folclóricos do concelho, assim como a realização de festivais de folclore, pois tornam-se importantes para que as pessoas se divirtam e valorizem as várias tradições".

Em palco estiveram também o Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, o Rancho das Lavradeiras da Trofa, o Rancho Folclórico da Trofa, de Alvarelhos e de S. Romão do Coronado e o Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, oriundos do concelho da Trofa e ainda o Rancho Folclórico da Casa do Povo das Pedreiras de Porto de Moz, o Rancho Folclórico de Vila Real de Santo António (Algarve), o Rancho Folclórico da Casa do Povo (Godim), o Rancho Folclórico da Gafanha da Nazaré (Aveiro) e o Grupo Folclórico das Lavradeiras de Parada de Gatim – Vila Verde.