Murenses mantêm festas em honra de S. Cristóvão e S. Pantaleão, que decorrem nos dias 25, 27 e 28 de julho. Um dos pontos altos é a bênção do novo altar da Capela, pelo Bispo.

Para que as festas em honra de S. Cristóvão e S. Pantaleão não terminem, um grupo assumiu, uma vez mais, a comissão de festas, constituída, pela “primeira vez”, por nove elementos. Gil Oliveira (vice-presidente), Carlos Pires (secretário) e Luís Moreira (vogal) esperam que a comunidade adira em massa.

O primeiro dia das festas é dedicado ao padroeiro da freguesia, S. Cristóvão. O programa começa pelas 20 horas, com uma missa na igreja matriz, seguida de uma procissão em honra do Santo, com “três andores”, acompanhada pelo grupo de Zés Pereiras Os Divertidos de Delães. O dia termina com a atuação do grupo de cavaquinhos Canários de Balselhas.

Já as festas em honra de S. Pantaleão decorrem no fim de semana. Um dos pontos altos é a missa que se realiza pelas 20 horas de sábado, na Capela de S. Pantaleão, que será presidida por D. Pio Alves, administrador apostólicoda diocese do Porto que vai “benzer” o novo altar. Esta cerimónia vai marcar as obras de remodelação, a cargo da Comissão de Fábrica da freguesia, que foram feitas na capela, desde a colocação de um “telhado novo”, nova pintura e “umas casas de banho decentes”.

Ainda no sábado, a partir das 8 horas, o grupo de Zés Pereiras Os Divertidos de Delães vai percorrer todos os lugares da freguesia, anunciando o início das festividades. A animação do dia, que conta com uma sessão de artificio, está a cargo do grupo de aeróbica da Associação Recreativa Juventude do Muro, pelas 21.30 horas, e da atuação da Maria Celeste e sua banda, pelas 22 horas.

Outra das novidades das festas está reservada para domingo, com uma missa solene que vai contar com a profissão de fé das crianças na igreja matriz, pelas 9.15 horas. A vertente religiosa fica completa com uma missa solene com sermão na Capela de S. Pantaleão, pelas 11 horas, e pela celebração da palavra seguida da procissão em honra de S. Pantaleão, com “seis andores”, pelas 16.30 horas. A Banda Filarmónica Boa Vontade Lorvanense, pelas 8.30 horas, o grupo Os Divertidos de Delães, pelas 14.30 horas, e os ranchos Folclórico de Alvarelhos e Etnográfico de Santiago de Bougado, pelas 15 horas, são os responsáveis pela animação do último dia.

Com um orçamento a rondar “os 20 mil euros”, a comissão começou desde o “final do ano passado” a desenvolver diversas campanhas para angariar verbas para as festividades, como a “distribuição de cartões de boas festas” pela freguesia, “umas rifas” pela altura da Páscoa e “peditórios de porta a porta”. Outras fontes de receitas são os patrocínios das empresas e o espetáculo do “grupo de bombos”, que atuando pela freguesia vai angariar “mais dinheiro” aos murenses.

Relativamente aos peditórios, os festeiros “não” notaram um decréscimo, afirmando que correram “muito bem”, com os murenses a contribuírem “conforme as suas possibilidades”: “uns mais, outros menos”. Para além disso, conta ainda com o apoio de “pessoas mais generosas” que os ajudam a enfeitar a “capela, a igreja e os andores”, e com “a contribuição” da população do lugar do Ribeiro e de S. Roque, de Alvarelhos.

Sendo a “única festa da freguesia”, os festeiros esperam que “as pessoas apareçam para recompensar o trabalho” feito durante “todo este período”.

A comissão de festas está a terminar o mandato e, por isso, Gil Oliveira deixa o convite à população murense para “integrar uma nova comissão”, pois quando “todos ajudam nada custa”. “As pessoas que se façam ao terreno e colaborem um bocadinho”, concluíram.