Comissão de Festas e Padre Luciano Lagoa estão de acordo: as festas em honra de Nossa Senhora das Dores “correram muito bem”.

Depois de muitos meses de trabalho e 22 dias de festa em honra de Nossa Senhora das Dores, os principais organizadores não podiam estar mais satisfeitos com o resultado final. “Acho que a Comissão está de parabéns, porque todos se esforçaram para que as coisas corressem sempre pelo melhor”, declarou Manuel Dias, coordenador-geral das festas.

Os lugares de S. Martinho, Côroa, Real e Carqueijoso uniram-se para, mais uma vez, levar ao centro da Trofa a alegria e a animação das maiores festas do concelho. O trabalho começa muitos meses antes e para angariar verbas suficientes, a Comissão desdobrou-se em esforços, mas “tudo foi bom, a começar pela ExpoTrofa, passando pelos peditórios porta a porta”. “A entrega e a devoção das pessoas” foi outro aspecto que Manuel Dias quis frisar. Como único ponto negativo “talvez a falta de receptividade das empresas, que não contribuíram tanto como noutros anos”. Ainda assim, Manuel Dias garantiu que a Comissão espera “chegar ao fim com as contas controladas”.

O coordenador-geral das festas deste ano relembrou a necessidade de continuar a organizar a romaria, que já tem 244 anos de história e “marca a identidade do povo da Trofa”.

Luciano Lagoa, pároco de S. Martinho de Bougado, faz, igualmente, um “balanço muito positivo” das festas em honra de Nossa Senhora das Dores. “O aspecto lúdico foi bastante conseguido, até porque este ano houve a iniciativa da Comissão de Festas em fazer o Festival da Canção, que me pareceu muito interessante”, assegurou. Também os espectáculos de cariz cultural, nomeadamente, as actuações das bandas de música, foram actividades “muito bem conseguidas, pois dão outro colorido cultural”.

Do ponto de vista religioso, “as festas também correram muito bem”. “A prova disso é a procissão, mas também o modo como as pessoas participaram no Septenário a Nossa Senhora das Dores e todas as outras manifestações de cariz religioso”, atestou. Luciano Lagoa confessou-se “bastante satisfeito” e garantiu que “este foi um dos anos em que as coisas correram muito bem”.

As festas do próximo ano vão ser da responsabilidade da aldeia de Paranho.

 

Espectáculos musicais encheram Parque

A música esteve em destaque durante as festas em honra de Nossa Senhora das Dores. Depois da realização do primeiro Festival da Canção da Trofa, as notas musicais continuaram a encher o centro de S. Martinho de Bougado.

No dia antes de serem conhecidos os nomes dos vencedores do festival, o Conjunto Típico do Vale animou o Parque Nossa Senhora das Dores. A música popular teve ainda destaque nas actuações do grupo Sons e Cantares do Ave, na noite de dia 15. Os fados impuseram silêncio com a Serenata de Fados de Coimbra, no dia anterior.

Dia 16 de Agosto, a música era “para os mais novo”, com a actuação do grupo Myllenium. E, na terça-feira, o recinto encheu completamente para a actuação de Augusto Canário. O folclore teve o papel principal na noite em que subiram ao palco quatros ranchos do Norte do país. No entanto, o concerto de Marco Paulo foi o grande espectáculo das festas deste ano, com milhares de pessoas na assistência.

As Festas em honra de Nossa Senhora das Dores contaram, ainda, com a actuação de diversas Bandas de Música.