Depois da incerteza quanto à realização das Festas em honra de S. Roque, um grupo de mulheres de Alvarelhos decidiu organizar a romaria em cerca de um mês.

A um mês das festas de S. Roque ainda não havia Comissão para organizar estaromaria com mais de meio século de existência. Foi então que um grupo de mulheres decidiu “pôr mãos na massa” e não deixar cair a tradição.

“As festas fizeram 50 anos no ano passado e a capela agora está muito bonita, uma vez que levou altares novos e já tem bancos, por isso era uma pena acabar com as festas” afirmou, Gracinda Rocha, uma das responsáveis pela comissão de festas, composta por vinte mulheres dos vários lugares da freguesia. “Nós procurámos duas, três, quatro pessoas de cada lugar para ser mais fácil a realização do peditório”, adiantou.

Sem patrocínios e apenas com o dinheiro angariado porta a porta a Comissão recorreu aos artistas locais para fazer o programa das festas. São esperadas, no “sábado à noite, a atuação do grupo AlvaDance, e no domingo será celebrada missa na Capela e ainda a atuação do Rancho Folclórico de Alvarelhos e do Rancho de Danças e Cantares de Santiago de Bougado”.

A procissão será um dos pontos altos das festividades, que este ano conta com uma novidade. Ao invés de percorrer apenas o lugar de S. Roque, os fiéis vão calcorrear “toda a freguesia”, num momento religioso que vai englobar “seis andores”.

As festas decorrem no último fim de semana de agosto, no lugar de S. Roque em Alvarelhos. 

 

 

{fcomment}