Desde quarta-feira, a Capela de Nossa Senhora das Dores já está iluminada de tons de azul para receber as festas em honra do Divino Espírito Santo, que decorrem este sábado e domingo. Apesar de os Parques continuarem em obras, a Câmara da Trofa vai abrir o espaço.

O Grupo de Bombos “Os Independentes da Raimonda” vai percorrer as aldeias de S. Martinho de Bougado, a partir das 9.30 horas deste sábado, 23 de maio, de forma a anunciar o início da festa em honra do Divino Espírito Santo, a decorrer nos Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro. A iniciativa é organizada pela Comissão de Festas em Honra do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora das Dores, que este ano está a cargo da aldeia de Paradela.

No domingo, Dia do Espírito Santo, a Capela vai ser palco de três eucaristias: às 8.30, 12 e 19 horas. A partir das 8.30 horas, elementos da Comissão de Festas vão estar na Capela para proceder à coroação do Espírito Santo nas crianças. Ainda no domingo há, pelas 14.30 horas, um concerto pelas bandas de música da Trofa, de Famalicão e “Os Amigos da Branca”.

A partir de 31 de maio, vai retomar a celebração da Eucaristia das 15.30 horas, na Capela, seguido dos cortejos e respetivos leilões. O primeiro é promovido por Paradela, que vem em cortejo à moda antiga, desde a sua aldeia até à Capela, culminando com o já habitual leilão.

Apesar de os Parques continuarem em obras, ao abrigo da candidatura de Requalificação, financiada por fundos comunitários, a Câmara vai abrir o espaço.
Segundo Albino Monteiro, responsável pela vertente religiosa, as festas estão a ser preparadas de “uma maneira normal e tradicional”, apesar de todo o Parque “não estar disponível”, devido às obras. O responsável referiu que “ainda há muitas famílias que vêm, tradicionalmente, à Capela para coroar as crianças com o Espírito Santo”.

Já José Antunes, responsável pelo bar da Comissão de Festas, explicou que o mesmo vai “ser criado num monobloco,” que vai estar posicionado junto à concha acústica e as pessoas serão “servidas numa esplanada”. A abertura do bar está marcada para este sábado, a partir das “14 horas”.

“Este ano não vai haver almoços, nem jantares, uma vez que não há condições para trabalhar. Vamos trabalhar com o que podemos, servindo, essencialmente, bebidas, algumas sandes e pouco mais”, asseverou.

Durante a semana, o bar vai funcionar “das 20 às 24 horas” e aos fins de semana das “14 às 24 horas”, podendo haver domingos em que abram “a partir das 10 horas”. Albino Monteiro apela que “apareça muita gente” no bar e que “os ajude”, uma vez que esta é “uma das formas mais importantes de angariação de verbas para as festas”.