A palavra Pentecostes é grega e significa “Quinquagésimo”.

No antigo Testamento, o povo hebreu celebrava a festa de Pentecostes cinquenta dias depois da Páscoa judaica e era a segunda festa do calendário bíblico. Há outros nomes que estão associados a esta festa, tais como:
-Festa das Semanas, porque acontecia sete semanas depois da Páscoa (50 dias são sete semanas)Levítico 23;15,16
-Festa das Colheitas dos primeiros frutos. Porque celebrava o início da colheita desse ano.(Números 28;26.

A festa de Pentecostes servia para agradecer a Deus (Javeh) pela comida que Ele providenciava. Era por altura desta festa(no fim da primeira colheita) que os judeus se juntavam e ofereciam uma porção da colheita a Deus. Para os judeus, fazia parte da celebração, ir em peregrinação ao Templo oferecer as Primicias dos Frutos. Ao dedicar as “Primícias” a Deus, significava que os judeus dedicavam tudo a Deus.

A festa de Pentecostes lembrava também a entrega da “Tábua dos Dez Mandamentos” a Moisés, cinquenta dias após a saída do Egipto (Èxodo)e a posterior chegada ao Monte Sinai.

A festa do Pentecostes, para os cristãos, significa a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, cinquenta dias após a Ressurreição de Jesus Cristo, em forma de línguas de fogo. Cristo havia prometido “ O Paráclito”,( aos seus discípulos) para fazer compreender tudo quanto Ele havia ensinado durante a sua vida terrena. Foi neste dia de Pentecostes que a Igreja Católica terá “nascido”, o que significa o início da expansão cristã, que, a partir de Jerusalém, se estendeu a todo a Terra…

Atualmente, o Pentecostes é considerada uma das festas principais da Igreja Católica, a seguir à Páscoa e Natal. É neste dia que termina, oficialmente, o Tempo Pascal, iniciado na Vigília de Páscoa.

Em vários países da Europa a Festa de Pentecostes é celebrada com muita solenidade, na maioria deles com direito a um feriado religioso. Acontece, por exemplo, em :França, Alemanha, Suíça, Áustria, Suécia, Luxemburgo, Mónaco…

Em Portugal o culto e devoção ao Divino Espírito Santo vem desde o século XIII. Assim, há grandes celebrações nas Ilhas do Pico, Faial, Terceira e São Jorge.

Há também uma lenda, que faz parte da história de Portugal, em que é atribuída à terceira Pessoa da SSma. Trindade o Milagre da “transformação” de Pão em Rosas ( célebre Milagre das Rosas, protagonizado pela Rainha Santa Isabel).

Também, em Tomar, as grandiosas festividades dos Tabuleiros, são dedicadas ao Divino Espírito Santo.

No concelho da Trofa as paróquias de São Martinho de Bougado e São Mamede do Coronado costumam realizar festividades em honra do Divino Espírito Santo, que este ano, devido à pandemia, ficarão muito aquém das habituais romarias. Assim, no próximo domingo, dia 31, haverá as missas solenes, e as “coroações” das crianças dentro das respectivas igrejas de Nª Sª das Dores e Igreja Matriz de São Mamede do Coronado…