Os adeptos do Benfica saíram à rua para celebrar a conquista do 32º campeonato, no último domingo à noite. Na Trofa, a festa fez-se no lugar de sempre: a Rotunda do Catulo.
 “O Benfica é muito mais que um clube, é muito mais que uma religião. Ser benfiquista é uma paixão”. Estas foram as primeiras palavras de Daniel Ferreira, um jovem benfiquista da Trofa, depois da confirmação de que o título pertencia ao clube da Luz. Daniel Ferreira e os amigos fizeram questão de assistir ao jogo em directo no ecrã gigante colocado junto à Casa do Benfica da Trofa. Depois do apito final do árbitro Jorge Sousa, os gritos misturaram-se com as lágrimas, na alegria contagiante de quem já esperava por este momento há cinco anos. Para este jovem trofense o Benfica “é o maior clube do mundo” e a conquista do campeonato “é uma alegria enorme”. “Só quem é benfiquista é que sabe o que é ter a sensação de ser campeão e o amor que há por este clube”, explicou Daniel ao NT antes de voltar à festa, que começou na Casa do Benfica e continuou na Rotunda do Catulo.

A assistir ao jogo, no ecrã gigante, estavam várias gerações de benfiquistas, que fizeram questão de mostrar a força da águia. Francisca e Marta são irmãs e esta foi a segunda vez que viram o Benfica vencer o campeonato. Com 5 e 7 anos, respectivamente, estas adeptas encarnadas são sócias do Sport Lisboa e Benfica desde bebés e o sorriso nos seus rostos expressava o que não foram capazes de traduzir em palavras.

Mas nem só os jovens vivem intensamente a emoção de vencer o título mais importante do campeonato nacional. Alfredo Coutinho, 64 anos, não escondeu a felicidade sentida: “Este é um dia muito feliz para o Benfica e para Portugal. Estávamos à espera deste momento há duas semanas”, rematou.

Junto às Galerias Araújo, uma bandeira de proporções gigantes mostrava a todos os que passavam na Estrada Nacional 104 a paixão dos benfiquistas trofenses.