O Feirense vence hoje por 2-1 na Trofa, infligindo a sexta derrota consecutiva ao cada vez mais ”aflito” Trofense, em encontro da 19.ª jornada da II Liga Portuguesa de Futebol.

Com golos de Jorge Gonçalves, na conversão de uma grande penalidade muito duvidosa, aos 38 minutos, e de Rafa, a cinco do fim, o conjunto de Santa Maria da Feira inverteu o tento inicial de Paulinho, apontado aos 34.

Com o novo treinador, Micael Sequeira, apresentado terça-feira, na bancada, mesmo junto ao banco de suplentes do Trofense, pois ainda não chegaram à Trofa as credenciais formais, o comando técnico dos trofenses foi conduzido pelo adjunto Vítor Oliveira.

Esperava-se que ambas as equipas lutassem muito para fugirem aos lugares de despromoção – à entrada para esta jornada o Trofense seguia abaixo da linha de água, em penúltimo lugar – e foi o que acabou por acontecer e com muito nervosismo à mistura.

A primeira parte foi pautada por grande intensidade, com jogadas de ataque repartidas, ainda que a equipa da casa tenha abordado a baliza adversária com mais discernimento.

Paulinho, aos cinco minutos, quase inaugurou o marcador, e João Amorim, aos sete, de livre, atirou por cima. Pelo Feirense, destaque para duas tentativas de Platyni, que, aos 12, rematou ao lado e, aos 17, por cima.

O Trofense acabou por chegar ao golo por intermédio de Paulinho, que completou muito bem uma jogada de Moisés (34 minutos).

Mas, a festa trofense durou pouco e deu lugar à contestação, já que a equipa da Santa Maria da Feira chegou ao empate três minutos depois, aos 37, através de uma grande penalidade convertida por Jorge Gonçalves.

A decisão foi do auxiliar do juiz portuense Vasco Santos, que considerou que Hebert Santos travou em falta Platyni na grande área, quando o avançado brasileiro caiu sozinho.

Na segunda parte, o Feirense entrou mais agressivo, invertendo os papéis do primeiro tempo, mas o guarda-redes Marco Gonçalves esteve seguro entre os postes, nomeadamente quando travou, com os punhos, um remate de Marcelo (68 minutos).

No sentido contrário, Paulinho era o mais insatisfeito com o empate, sendo o elemento mais ameaçador para a baliza de Marco Rocha, com tentativas aos 79 e 84 minutos.

O Feirense acabou por concretizar a reviravolta aos 85 minutos, com um golo de Rafa, que aproveitou a total desatenção da defesa trofense, à espera da marcação de uma falta.

 

Fonte: Lusa

 

{fcomment}