Select Page

Feira Anual promete

Feira Anual promete

Quatro dias, dezenas de actividades e milhares de visitantes…Espera-se que este seja o retrato da 61ª Edição da Feira Anual da Trofa, um certame agropecuário com inicio marcado para esta quinta-feira dia 1 de Março.

"Ano após ano a Feira Anual ou Feira Grande da Trofa, como também é conhecida tem vindo a afirmar-se quer pelo salto qualitativo que tem vindo a dar como pelo reconhecimento nacional e internacional que já alcançou". Foi desta forma que José Sá,presidente da Junta de Freguesia de S-Martinho de Bougado abriu a conferencia de imprensa de apresentação aos jornalistas deste certame que se realiza na Trofa há 61 anos e que tem vindo a mostrar o dinamismo da Trofa e da Região.

Considerada como a maior Feira do norte e como uma das melhores a nível nacional, a Feira Anual da Trofa registou um crescimento acentuado nos últimos seis anos,altura em que saiu do Parque Nossa Senhora das Dores e se instalou no recinto da Feira e Mercado da cidade da Trofa. A partir daqui o certame não mais parou de crescer e José Sá quer que assim continua. Sem entrar em exageros ou falsas expectativas o autarca salientou o grande investimento efectuado neste certame, não só a nível financeiro mas também em termos de trabalho dos funcionários da Junta, Sá salientou a ajuda preciosa "quer da Camara Municipal, quer da Cooperativa de agricultores, dos patrocinadores e claro dos nossos expositores e visitantes,sem os quais esta grande Feira não se realizaria", asseverou.

O autarca aproveitou este encontro com os jornalista para anunciar a ampliação do espaço coberto para a realização não só do concurso pecuário nacional da Raça Holstein Frísia mas também das Raças Minhota e Barrosa e a introdução de uma novidade. "Este ano e pela primeira vez desde há muito tempo vamos recuperar um concurso onde participam apenas animais autóctones daqui", acrescentou.

Mas as alterações e melhorias do certame não se ficam por aqui. Hélder Santos, responsável pelo pelouro das Feiras e Mercados anunciou uma mão cheia de novidades quer no cartaz da edição 2007 da Feira Anual, quer na melhoria das condições físicas do espaço, sobretudo no que diz respeito aos Equinos,ou não fosse o vereador um apaixonado pelos cavalos. Desvalorizando este facto Helder Santos anunciou que pela primeira vez "vamos ter uma prova do campeonato nacional de equitação de trabalho, , uma vez que é uma modalidade de grande projecção e na qual Portugal é vice-campeão europeu. Assim decidimos criar este estágio para todos aqueles que são amantes dos cavalos e que já montam, poderem aqui na Trofa começar a aprender as regras e a praticar esta modalidade. Uma das coisas que vamos fazer este ano logo na quinta e sexta-feira é durante todo o dia um estágio de equitação de trabalho com um cavaleiro nacional consagrado que faz parte da selecção nacional.", frisou.

No que diz respeito aos espectáculos equestres, este ano serão, segundo o vereador, protagonizados pelas escolas de equitação da região, São elas o Centro Hípico do Outeirinho em Vila Nova de Famalicão, o Centro Equestre da Trofa que é o anfitrião e tinha que estar representado e o Centro Hípico de Freamunde de Paços de Ferreira".

No que diz respeito ao Horseball, este ano a primeira jornada do campeonato tem lugar na Trofa , o que já acontece pelo terceiro ano consecutivo. As equipas que já estão sorteadas e as equipas que vão abrir o campeonato são o Sporting Clube Portugal Centro Equestre João Cardiga, que foi vice campeão nacional de masters e vencedor da Taça de Portugal na época 2005/2006, é o colégio Vasco da Gama Horseball Clube que foi vencedor da supertaça de Horseball de 2006, Cascais de Horseball que foi medalha de bronze nos masters na época de 2006 e o Azambuja Horseball Team que foi vice campeão nacional Trofy 2006".

Outras das inovações avançada por Hélder Santos é a corrida de póneis, garranos e burros que vai decorrer no recinto da Feira na tarde de Domingo a a Corrida de Cavalos a Galope a contar para o Campeonato nacional da modalidade, vai decorrer, à semelhança do que aconteceu no ano passado a 25 de Abril. Com esta medida a organização espera conseguir ultrapassar as condicionantes atmosféricas que nas últimas edições obrigavam ao cancelamento da Corrida, durante a Feira Anual. "A corrida de cavalos continua a ser parte integrante da feira, mas fica logo agendada para a data definitiva dela que é 25 de Abril. No entanto não deixa de haver animação e, este ano construímos uma manga à volta do picadeiro que vai dar muita animação, que permite a montagem de póneis para as pessoas, e nessa mesma manga no domingo à tarde está prevista uma corrida de póneis, burros e garranos, para que o hábito e a tradição da corrida não se perca", avançou o responsável.

Feira Anual deixou de ser amadora

Longe vão os tempo em que a Feira Anual da Trofa era considerada uma iniciativa amadora. Hélder Santos defende a profissionalização cada vez maior deste certame "esta já não é uma feira amadora, é profissional, quer mostrar o que é uma actividade agrícola diversificada, mas também uma actividade agrícola dos tempos modernos, não perdendo nunca a tradição dos 61 anos da feira, mas mostrando o que é a actividade agrícola de hoje em dia, que é uma actividade empresarial", frisou.

Segundo o vereador "a feira anual da trofa é hoje falada em todo o país e nas ilhas, com garantia do que estou a dizer, porque tenho a confirmação da participação do presidente da cooperativa de produtores leiteiros da ilha de S. Jorge dos Açores. Um expositor de quem não digo o nome para não publicitar, disse que vai estar o director para a Península Ibérica dessa mesma marca na Trofa, porque considera que a feira é estratégica para eles".

Também Vitor Maia, presidente da Cooperativa dos Agricultores dos concelhos de Santo Tirso e Trofa defendeu a profissionalização deste certame e a especificidade enquanto feira agrícola para que não aconteça o que aconteceu a outras Feiras deste género que diversificaram tanto a sua oferta que acabaram por cair", frisou.

"Este é o quinto ano que a cooperativa colabora na organização da Feira Anual nestes moldes e reconheço que a nossa vinda para este certame trouxe a União das Cooperativas, de que somos associados, bem como outras associações ligadas ao sector agrícola. De facto o sucesso de qualquer feira depende do envolvimento de todas as organizações agrícolas, porque estarmos a fazer um concurso de Raça Frísia sem termos associação que tem o livro genealógico da raça presente, um concurso barrosã, minhota, sem a respectiva raça sem o livro genológico isso é completamente descabido".

Quanto à importância da visita das crianças das escolas a este certame, Vitor Maia considerou-a "fundamental porque eu acho que as crianças devem ser educadas a viver com o mundo rural, porque eu noto as crianças da minha freguesia, gostam de visitar a minha exploração agrícola, é importante elas contactarem com o mundo rural, verem a ordenhar uma vaca, para saberem que o leite não vem do pacote nem do hipermercado", ironizou.

Novo modelo impulsionou crescimento

Segundo a organização o modelo que está agora a ser seguido na realização da Feira Anual, é eficiente e a prova disso é que de ano para ano tem-se registado um aumento de procura por parte dos expositores, aumento do número de animais a participar nas provas e nos concursos pecuários". Hélder Santos afirma que "em contrapartida, o que vemos nas feiras das redondezas, não só da região mas também do país, é a diminuição de expositores, de público e animais" o que mostra que a Feira da Trofa está no bom caminho.

Quanto à concorrência da feira Agro, que decorre em Braga, a mesma altura, Vitor Maia diz não temer a coincidência de datas, como aconteceu no ano passado. "Os expositores optaram pela Trofa, porque estão aqui as organização da lavoura e normalmente são empresas que trabalham connosco, que trabalham com a cooperativa, com a AGROS, com outras associações, em diversas áreas. Esta feira está vocacionada para o mundo rural, enquanto que a feira de Braga está vocacionada para outras áreas como a alimentação. O facto de ter diversificado muito a oferta, fê-la perder a linha que os expositores gostam", concluiu.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização