Este ano, comemoram-se os 70 anos da Feira Anual da Trofa, que decorre de 3 a 6 de março, no Mercado e Feira.
Para assinalar a data, a Junta de Freguesia de Bougado preparou algumas novidades na logística e animação do certame.

A edição 2016 da Feira Anual da Trofa está a ser preparada com “todo o empenho”. Quem o garante é o presidente da Junta de Freguesia de Bougado, Luís Paulo, que até “já fez as suas orações a S. Pedro” para que esteja “bom tempo”, o que os “ajuda muito” no trabalho.
E uma vez que este ano se assinala a 70.ª edição da Feira Anual da Trofa, a Junta de Freguesia começou “a trabalhar cedo” no certame para “criar um bom programa de animação”, para que o evento “fosse falado fora da Trofa” e para “trazer a juventude”, de forma a “envolvê-los nas tradições e na cultura da nossa terra”. Assim, este ano a feira conta com mais um dia, começando a 3 de março, com o concerto dos D.A.M.A., pelas 22 horas, na tenda de espetáculos. Além da habitual exposição de máquinas agrícolas, dos habituais concursos pecuários, com as raças Holstein Frísia, Arouquesa, Barrosã e Minhota, e das atividades equestres, como o Concurso de Modelo e Andamentos, Equitação de Trabalho e Horse Ball, o programa do certame conta com as atuações de Quim Barreiros, pelas 23 horas de 4 de março, da Banda Sabor e do Domingos Moça e Banda, a partir das 22 horas de 5 de março, e o Festival Folclórico, pelas 15 horas de 6 de março.
Mas o programa de animação não é a única novidade deste ano. A Junta de Freguesia decidiu implementar “muitas mudanças”, como a “reorganização de todo o espaço”, com a passagem dos “stands da rua paralela à Escola de Finzes para dentro do mercado”, de forma a “criar condições para os expositores e também para quem os visita”. Já os animais que estavam no interior do mercado passam para “uma tenda no exterior”. Com esta alteração, a organização pretende “criar condições de bem-estar para as pessoas e para os animais”, uma vez que o pavilhão é “muito aberto” e à noite “muito frio”. Há ainda “um aumento muito grande” de expositores, que rondarão “os 150”, disse Luís Paulo.
Mas as melhorias implementadas na Feira, nomeadamente “pela animação”, fez o orçamento “aumentar” em relação aos anos anteriores deste executivo, estando fixado em “cerca de 200 mil euros”. Com a necessidade de “aumentar a despesa”, Luís Paulo lançou “o desafio” à sua equipa: só o permitia com “o compromisso de ser compensado pelo aumento da receita”. “Temos que ter garantias de aumento de receita para permitir alargar e melhorar a Feira. Trabalhou-se no terreno e, garantidamente, o saldo entre as receitas e as despesas vai ser favorável aos trofenses e à Junta de Freguesia, que vai pôr menos dinheiro este ano do que pôs nos anos anteriores”, explicou.

 
Diferendo com a Confraria

Quanto à providência cautelar interposta pela Confraria do Cavalo contra a Junta de Freguesia de Bougado e Câmara Municipal da Trofa e que visa impedir a realização da vertente equestre da Feira, pela nova associação Equestrian Events, o presidente da Junta adiantou que “tem a certeza” que esta vai ser realizada. “Não consegui que eles (membros de ambas as associações) se entendessem e não me sinto muito bem. Gostava de ter toda a gente empenhada na parte equestre, porque assim seríamos mais fortes. A Junta foi metida neste problema para o qual não colaborou”, terminou.