A tradição diz que faça chuva ou sol, centenas de pessoas se deslocam à capela de S. Gonçalo, na freguesia de Covelas, para cumprir as suas promessas. De acordo com a organização, o ponto mais alto da festa, que decorre este fim-de-semana, será o mesmo de sempre: “a Fé de todos os devotos de S. Gonçalo”.

Tempos eram em que as meninas se apresentavam aos pés de S. Gonçalo e lhe puxavam a bengala para arranjar namoro. Hoje são mais os mais velhos que arrastam os novos para cumprir a tradição da romaria a Covelas, para celebrar a festa em honra do santo.

A pé, de bicicleta ou a cavalo. Faça chuva ou faça sol, a fé é a mesma e leva centenas de devotos à Igreja todos os anos. As festas, que se realizam um pouco por todo o Norte do país, em Covelas têm início no dia 23 e terminam a 25 de Janeiro, marcando o início das romarias do ano na Trofa.

A Comissão de Festas de 2010 já prepara o programa desde meados de Junho de 2009, com “esforço e sacrifício”. Quanto ao programa, não foge ao habitual, “com a excepção do sábado à noite que contará com um espectáculo diferente, terá pela primeira vez a actuação de duas Tunas Académicas de Guimarães”, adiantou Arlindo Sousa, um dos elementos que organizam as festas.

sgoncalo

No programa está já agendada a actuação do grupo popular “Os Zés Pereiras da Trofa”, no dia 23 de Janeiro, às 8.30 horas, seguindo-se a missa de Acção de Graças dos Gonçalos e uma missa vespertina. À noite, a animação estará a cargo das Tunas Académicas.

Na manhã de domingo, 24 de Janeiro, pelas 8 horas celebra-se uma missa de Acção de Graças ao mártir S. Sebastião, na Igreja Matriz. Às 9 horas, dá entrada a Banda de Música de S. Tiago Riba-UL na Igreja Matriz, dirigindo-se depois para a capela de S. Gonçalo. Seguem-se duas eucaristias em honra de S. Gonçalo. Às 14.30 horas toca novamente a Banda de Música de S. Tiago Riba-UL e pelas 15 horas, há ainda uma celebração da palavra e procissão acompanhada pela Banda e Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços, Maia. O dia termina com a actuação da mesma banda até ao fim da tarde.

O último dia de festas dedicado ao padroeiro da freguesia de Covelas, segunda-feira, ficará marcado pela “Eucaristia do Voto” e procissão junto da capela, pelas 9 horas, e a actuação do grupo Santo André.

O ponto mais alto da festa será o mesmo de sempre, “a Fé de todos os devotos do S. Gonçalo”, em especial dos covelenses. “Partindo de princípio de que é uma festa de carácter religioso, tem um significado extremamente importante, pois os covelenses, na sua grande maioria, são devotos do S. Gonçalo e, também sendo uma festa quinhentista, proporciona a todos nós uma certa vaidade e um apreço extraordinário, porque também faz parte da tradição desta terra”, explicou.

No entanto, a fé já “não é a mesma”. “Nota-se que está a descair um pouquinho, infelizmente. Acho que aliás tem tendência a piorar, as pessoas já não são da mesma têmpera de antigamente, como o povo costuma dizer, e a afluência à Igreja não é a mesma”, confessou o covelense.

Mas preparar esta festa não é fácil, principalmente em tempos de crise, e tudo se simplifica com a ajuda de todos, a quem a Comissão de Festas de S. Gonçalo 2010 agradece: “Quero desde já e através deste Jornal, agradecer a todos que nos ajudaram com os seus apoios, quer morais quer financeiros, os covelenses e todas as pessoas de fora da paróquia, das restantes freguesias do concelho da Trofa e arredores. A todas as empresas que nos patrocinaram e em nome da Comissão de Festas de S. Gonçalo 2010, um bem-haja a todos e, que sejam retribuídos no dobro do que nos ajudaram, pois estou certo que sem a vossa ajuda e com esta crise financeira que estamos a passar, seria praticamente impossível levar adiante esta festa”.

A Comissão de Festas de S. Gonçalo 2010 é composta por nove elementos, entre os quais seis homens e três mulheres.