"Os resultados do trabalho já realizado pelos dois centros de validação e certificação de competências de Vila Nova de Famalicão, desde Setembro passado, são positivos e animadores. Até agora, na Cior e no Citeve, já foram certificadas 220 pessoas com o nono ano de escolaridade, havendo mais 200 pessoas a poucas semanas de conseguirem essa certificação académica." Estes números foram revelados hoje, quarta-feira, pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Armindo Costa, na sessão de abertura do I Encontro de Centros de Novas Oportunidades do Vale do Ave, que decorreu nas instalações do Centro Tecnológico das Indústrias do Têxtil e do Vestuário de Portugal (Citeve).

Sobre os 220 famalicenses que já foram certificados com o nono ano de escolaridade, Armindo Costa realçou o facto de estas pessoas já poderem "tirar a sua carta de condução ou ter acesso a cursos de formação profissional, aumentando as suas aptidões profissionais, a sua auto-estima e o seu rendimento no final do mês", sublinhando que esta "é, sem dúvida, uma boa notícia".

O encontro, organizado pelos Centros de Novas Oportunidades do Citeve e da Escola Profissional Cior, com o  apoio da Câmara Municipal de Famalicão, através do projecto de inclusão social PROFIT, foi subordinado ao tema "Uma oportunidade para (re)pensar práticas de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC)".

Na sessão de abertura da iniciativa, Armindo Costa salientou a importância dos Centros de Novas Oportunidades no concelho, referindo que "por iniciativa da escola profissional Cior e do Citeve, a cidade de Famalicão dispõe hoje de dois centros de certificação de competências". E acrescentou: "Temos também empresas disponíveis para requalificar as habilitações dos seus trabalhadores, de que é exemplo máximo a Continental-Mabor, que assinou recentemente um contrato com o Estado, tendo em vista atribuir a equivalência ao 12º ano de escolaridade a cerca de metade dos seus 1500 funcionários".

Para o autarca, estes são "sinais positivos", que indicam que "os famalicenses estão dispostos a agarrar esta nova oportunidade, para que tenham condições de competir num mercado de trabalho cada vez mais exigente".

QUALIFICAÇÃO É A CHAVE PARA O CRESCIMENTO ECONÓMICO

Apesar do crescimento verificado nos últimos anos, para Armindo Costa, "Portugal ainda não conseguiu vencer a batalha da Educação e ficou aquém do desenvolvimento desejado neste domínio". "Infelizmente, Portugal não pode ser considerado um país moderno e desenvolvido quando mais de 70 por cento da sua população activa só conseguiu atingir o 9º ano de escolaridade ou tem menos do que isso. São quatro milhões de portugueses nesta situação!", lembrou o edil.

Recorrendo a um estudo da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE), o presidente da Câmara Municipal destacou a importância da qualificação para o crescimento económico da região e do país, referindo que "mais um ano de escolaridade contribui para aumentar a taxa de crescimento anual do PIB entre 0,3 e 0,5 pontos percentuais".

"Já há muito que sabemos qual é o caminho a seguir. A qualificação é a chave para mais crescimento económico, mais emprego e mais coesão social", assinalou. Apesar disto, Armindo Costa admitiu que "a formação académica e profissional, assim como a certificação de competências, por si só, não garantem o emprego. Mas está provado que um trabalhador com habilitações académicas e profissionais demora menos tempo a conseguir uma colocação".

O I Encontro de Centros de Novas Oportunidades do Vale do Ave contou com representantes da Agência Nacional para a Qualificação e da Direcção Regional de Educação do Norte, e de todos os Centros de Novas Oportunidades que operam na região do Vale do Ave: CITEVE, CIOR, Escola Secundária das Caldas das Taipas, Escola Secundária Francisco de Holanda, Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto, Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, CITEX, e Escola Secundária de Caldas de Vizela.

No encontro foram debatidos os seguintes temas: "Acolhimento, diagnóstico e encaminhamento", "A formação complementar: consolidação de saberes", "Metodologias de reconhecimento de competências" e "Júri de Validação e Certificação: que práticas?".