A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão lançou no terreno um conjunto de obras de redes de saneamento básico e de reabilitação da rede viária, abrangendo um total de seis freguesias, num investimento total de de 900 mil euros.

armindo-costa-apresentou-in.gifO presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, asinalou esta semana o lançamento das obras, numa cerimónia que contou com a presença de mais de duas dezenas de presidentes de Junta. Na cerimónia foi assinado o auto de consignação para a ampliação da rede de saneamento básico aos lugares de Alto da Peça, Garrida e Montezelo, na freguesia de Lousado, numa extensão de mais de cinco quilómetros de rede, e lançada a obra de repavimentação da Estrada Municipal 510, que liga Vermoim, Castelões, Ruivães, Bente e Landim, numa extensão de cinco quilómetros. Isto depois de ainda recentemente ter sido assinado o auto de consignação para a instalação da rede de saneamento básico nas freguesias de Ruivães, Bente e Landim, ao longo de três quilómetros.

A obra de ampliação da rede de saneamento básico na freguesia de Lousado foi entregue à empresa José Moreira Fernandes & Filhos, S.A, pelo valor aproximado de 263 mil euros e tem um prazo de execução de 240 dias. Por sua vez, a repavimentação da E.M. 510 que foi também adjudicada è empresa José Moreira Fernandes & Filhos, S.A, pelo valor cerca de 545 mil euros, tem um prazo de execução de 365 dias, implicando a colocação de tapete betuminoso, a construção de passeios e a execução da respectiva rede de águas pluviais, entre outros melhoramentos. Entretanto, a construção da rede de saneamento nas freguesias de Ruivães, Bente e Landim, que já está em curso, implicando um investimento de 91 mil euros.

Acompanhado por José Santos, vereador do Ambiente e das Obras Municipais, Armindo Costa afirmou que "estas são obras de grande importância para as populações e que reflectem a aposta da autarquia no bem-estar e na melhoria da qualidade de vida de todos os famalicenses" . O presidente da Câmara Municipal lembrou ainda a necessidade de contenção financeira, decorrente da situação difícil que o país está a atravessar, que tem prejudicado o investimento das autarquias. Apesar das dificuldades, Armindo Costa mostrou-se optimista salientando a importância da aposta nas freguesias para o desenvolvimento e progresso do concelho. Neste âmbito apontou a adopção de uma "medida histórica deste executivo", que foi a duplicação "das verbas livres para as freguesias, dando mais autonomia às 49 Juntas de Freguesia do concelho de Famalicão".