A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão já conseguiu captar um total de 8 milhões de euros em fundos comunitários, que foram aprovados pelo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), com vista à construção de 6 centros escolares (estabelecimentos vocacionados para o 1º Ciclo e ensino pré-escolar), que implicam um investimento total de 10,6 milhões de euros. “Nunca como hoje conseguimos captar tanto dinheiro em fundos comunitários. Isso significa que sabemos fazer o trabalho de casa e que sabemos fazer bons projectos”, afirma o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa.
Em meados de 2009, o Governo aprovou uma candidatura do município de Famalicão a fundos comunitários, para financiar centros escolares nas vilas de Ribeirão e Joane e na freguesia de Telhado. Depois, o Município apresentou uma segunda candidatura para financiar o Centro Escolar Sede nº 2 (na sede do concelho), o Centro Escolar de Antas e o Centro Escolar do Louro – que acaba de ser aprovada, elevando para 6 os equipamentos contemplados com financiamento de Bruxelas.
Dos 10,6 milhões de euros do investimento, o Governo assegura uma comparticipação de 80 por cento (e não de 70 por cento como inicialmente vigorava), cabendo à Câmara Municipal investir 20 por cento, ou seja, cerca de 2,7 milhões de euros.

“É um grande investimento na educação das crianças famalicenses que vai perdurar por muitos e muitos anos”, afirma Armindo Costa, sobre o plano de modernização de rede escolar que já está no terreno, uma vez que os centros escolares de Joane e Ribeirão, assim como o Jardim-de-Infância de Telhado (que formará o centro escolar desta freguesia), estão em fase adiantada de construção.
As crianças do ensino pré-escolar e do 1º Ciclo ficarão na mesma escola, facto que é encarado como um factor de qualidade de vida para as famílias e para o desenvolvimento escolar e pessoal das próprias crianças. “Para uma educação de qualidade, é preciso bons professores, mas também é preciso boas escolas”, considera Armindo Costa, que considera “histórico” o trabalho que está a ser feito da modernização do parque escolar.
Aliás, a este investimento municipal no 1º Ciclo e no ensino pré-escolar, junta-se o investimento directo do Ministério da Educação na ampliação e modernização da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, numa empreitada que está a decorrer e que inclui a construção de um pavilhão gimnodesportivo prometido há mais de 20 anos.
 
NOVAS OBRAS NO TERRENO
 
Entretanto, já adjudicadas e em fase de arranque estão as obras de construção dos centros escolares de Antas, Louro e Sede nº 2. O futuro Centro Escolar de Antas inclui 9 salas para o 1º Ciclo do Ensino Básico, 2 salas para a Educação Pré-Escolar, 1 laboratório “Ciência Viva” (que será de investimento totalmente municipal), uma biblioteca escolar, um espaço polivalente vocacionado para refeitório, uma sala de professores, para além de um conjunto de áreas multifuncionais. Irá servir as crianças das freguesias de Abade de Vermoim, Seide S. Paio e Antas.
O Centro Escolar do Louro, que também vai servir as crianças de Mouquim, prevê a construção de 9 salas de aula para o 1º Ciclo do Ensino Básico, 2 salas para a Educação Pré-Escolar, 1 sala para fazer face ao crescimento, 1 laboratório “Ciência Viva”, um espaço específico para a biblioteca escolar, um refeitório/espaço polivalente, uma sala de professores e um conjunto de áreas multifuncionais.
A requalificação e ampliação da Escola Básica Sede nº 2, que inclui um jardim-de-infância, contempla a construção de seis novas salas, uma biblioteca escolar, um refeitório/espaço polivalente, uma sala de professores, um conjunto de áreas multifuncionais e uma operação de modernização das 8 salas existentes.