A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai associar-se no próximo sábado, dia 28 de Março, ao apagão mundial da Hora do Planeta, uma acção promovida pela World Wide Fund for Nature (WWF), uma das mais conhecidas Organizações Não Governamentais ambientalistas do mundo. Durante 60 minutos, entre as 20h30 e as 21h30, diversos equipamentos municipais de Famalicão vão ficar às escuras, dando o seu contributo na acção mundial contra as alterações climáticas.
O edifício dos Paços do Concelho, o Palacete Barão da Trovisqueira onde está instalado o Museu Bernardino Machado, a casa da Cultura, o Centro de Estudos Camilianos e a Casa-Museu de Camilo, em S. Miguel de Seide e ainda o Mosteiro de Landim são os equipamentos que ficarão iluminados apenas com a luz das estrelas.
Para o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, “com este acto simbólico a Câmara Municipal de Famalicão associa-se ao alerta mundial sobre a ameaça das mudanças climáticas”. Por outro lado, através desta acção, o autarca pretende “encorajar e incentivar todos os famalicenses a reflectirem sobre esta problemática, começando por desligar as suas luzes por uma hora no próximo dia 28 de Março”.
Neste momento, a iniciativa de luta mundial contra as alterações climáticas já soma uma adesão total de 80 países. O número de cidades aderentes a esta iniciativa ultrapassa as 1800 – nestas, inclui-se, pela primeira vez, as cidades portuguesas de Vila Nova de Famalicão e Lisboa.
A iniciativa que foi promovida pela primeira vez, em 2007 na cidade australiana de Sidney tem como principal objectivo alertar a população para a necessidade do Planeta ter essa Hora para respirar, para descansar, para se regenerar. Assim, encorajando as empresas, governos e cidadãos a desligarem as luzes por uma hora, deu-se um grito de alerta e criou-se uma plataforma de acção para todos os que estão interessados e atentos a questões que envolvem a luta contra as alterações climáticas e a defesa do nosso Planeta, permitindo uma redução na emissão de gases de efeito de estufa.