"O concelho de Vila Nova de Famalicão tem as maiores empresas de Portugal nas áreas da fabricação de têxteis e da indústria do vestuário" e acolhe "um dos maiores pólos científicos, tecnológicos e industriais do sector têxtil, em Portugal". A revelação foi feita no último sábado pelo presidente da autarquia, Armindo Costa, ao lembrar dados da Associação Empresarial de Portugal (AEP), durante a cerimónia de recepção aos membros da rede europeia TEXTRANET (European Network for Textile Technology Transfer), da qual faz parte o Citeve – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e Vestuário de Portugal, que está sedeado em Famalicão.

A curiosidade dos membros da rede europeia no Museu Têxtil de FamalicãoA Textranet, que congrega 34 centros de investigação europeus, entre os quais o Citeve, esteve em Portugal, durante a semana passada, para a realização da sua reunião anual, que teve lugar no Porto. Na sua passagem pelo norte do País, a organização foi recebida nos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão e foi conhecer o Museu da Indústria Têxtil.

Citando dados da Associação Empresarial de Portugal, Armindo Costa lembrou que, na área da fabricação de têxteis, há 15 empresas de Vila Nova de Famalicão entre as cem maiores de Portugal, estando quatro delas colocadas no "top ten". "E destas quatro empresas, a primeira e a segunda são famalicenses – a Têxtil Manuel Gonçalves e a Têxtil Riopele", informou o edil.

Armindo Costa disse ainda que a mesma situação se verifica no sector da indústria de vestuário, onde, entre as cem maiores empresas de Portugal, 11 estão localizadas no município de Famalicão. "Destas 11 empresas, três estão no "top ten" e destas três, a primeira e a terceira maiores são famalicenses – a empresa dos Irmãos Vila Nova, que produz a marca de vestuário "Salsa", e a Ricon", destacou.

Realçando a importância do sector têxtil, no concelho, o edil lembrou Famalicão acolhe também "a sede da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que agrupa cerca de 730 empresas de toda a fileira têxtil e do vestuário, que, no seu conjunto, asseguram mais de 60.000 postos de trabalho e 3.000 milhões de euros de facturação, sendo dois terços desse valor destinado aos mercados de exportação".

A cerimónia contou ainda com as intervenções do presidente do Citeve, António Amorim, que evidenciou também o facto de Famalicão ser "o coração do têxtil em Portugal", e do representante da Textranet, o francês Robert Biguet.

No final, a comitiva constituída pelos diversos membros provenientes de países como a França, Espanha, Bélgica, Hungria, Grécia, Republica Checa, Itália, Alemanha, entre outros, visitaram o Museu da Indústria Têxtil. A respeito desta unidade museológica municipal, Armindo Costa chamou a atenção para "a ligação histórica do município ao sector têxtil, que atravessa milhares de famílias de muitas gerações, e faz com que o Município tenha uma grande preocupação com a preservação da sua memória colectiva".

O Museu da Indústria Têxtil é o mais importante do sector têxtil em Portugal, e em breve deverá integrar a Rede Portuguesa de Museus.