A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de dar à estampa o primeiro volume dedicado à Ciência, das "Obras Completas de Bernardino Machado", um famalicense por adopção, que foi Presidente de Portugal por duas vezes durante a I República. Ao longo de 233 páginas são abordados vários trabalhos que constituem a obra escrita sobre a Física e Matemática do jovem universitário Bernardino Machado, que para além de ajudar a compreender a base cientifica da sua formação académica e da precisão metodológica que caracterizaram a sua vida, suscita interessantes questões sobre a história e desenvolvimento do conhecimento cientifico em Portugal na segunda metade do séc. XIX.

A obra foi lançada no Museu Bernardino Machado, no âmbito das comemorações dos 97 anos da República Portuguesa, que se celebrou na passada sexta-feira, 5 de Outubro. A sessão contou com as presenças de dois netos de Bernardino Machado, Manuel Sá Marques e Aquilino Ribeiro. Para além da ciência, a autarquia famalicense irá lançar até 2010 mais três edições das "Obras Completas de Bernardino Machado" nas áreas da política, da pedagogia, assim como a vasta correspondência que está disponível no centro de documentação do Museu Bernardino Machado, uma unidade da Rede Portuguesa de Museus que é tutelada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

O primeiro volume das "Obras Completas de Bernardino Machado – Ciência" inclui os textos "Theoria Mechanica da  Reflexão e da Refracção da Luz: segundo Fresnel" (1876), "Dedução das Leis dos Pequenos Movimentos Periódicos Próprios da Força Elástica" (1876), "Theoria Mathematica das Interferencias" (1876), texto que foi apresentado por Bernardino Machado como dissertação a concurso à Faculdade de Filosofia da Universidade de Coimbra, as "Theses de Philosophia Natural" (1876), dissertação defendida na Universidade de Coimbra em 9 de Junho de 1876, os quais são apresentados pelo Professor Doutor José Francisco Rodrigues, da Universidade de Lisboa, do Departamento de Matemática; e, finalmente, o texto "Princípios de Antropologia", texto manuscrito de 10 folhas, que é apresentado pelo Professor Doutor Manuel Laranjeira Rodrigues de Areias, da Universidade de Coimbra do Departamento de Antropologia.

Para o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, "Bernardino Machado ocupa hoje um lugar central na vida cultural do Município de Vila Nova de Famalicão". No Museu consagrado à sua figura de estadista, pedagogo e cientista, "encontra-se depositado o maior acervo documental sobre a I República e é aí que se estuda o seu pensamento e as suas actividades, e se organizam debates sobre temas da actualidade nacional, com a participação de reputados investigadores e intelectuais", sublinha o autarca. Neste sentido, segundo o edil "o conhecimento deste trabalho e das potencialidades deste Centro de Documentação é uma oportunidade para preparar com tempo a organização das comemorações do Centenário da implantação da República em Portugal, em 2010". E acrescenta: "A edição das "Obras" de Bernardino Machado, sobre a égide do professor Norberto Cunha, é um forte contributo para uma celebração digna, em 2010, daquele aniversário, como forma de estudar e divulgar o pensamento dos líderes republicanos, avaliando, com rigor e seriedade, o significado e importância da República em Portugal."

O Coordenador Cientifico do Museu Bernardino Machado comunga da opinião de Armindo Costa, ao referir que "com o lançamento das "Obras Completas de Bernardino Machado" pretendemos trazer para o terreiro da nossa memória colectiva mais do que a trajectória factual dum político invulgarmente hábil e inteligente, mas a figura exemplar do homem, do cidadão e do pedagogo, do combatente pela liberdade e pelo amor ao próximo, do apóstolo da paz e do bem comum". E explica: "É esta inquebrável postura moral – mais do que o cientista, o politico ou o pedagogo – que hoje admiramos em Bernardino Machado. É certamente esta, mais do que qualquer outra, a figura emblemática que estas "Obras" pretendem reabilitar e apresentar ao público leitor deste país."

No final, foi ainda inaugurada a exposição "Bernardino Machado: o 5 de Outubro Redivivus" constituída por documentos evocativos do 5 de Outubro. Os documentos inéditos foram recentemente doados ao museu pelos netos de Bernardino Machado, Manuel Sá Marques e Aquilino Ribeiro. A exposição está patente até 31 de Dezembro.