“Motivos pessoais” foi a justificação dada por Fábio Pereira para abandonar o comando técnico do Bougadense. O treinador esteve oito jornadas na equipa, somando três vitórias e cinco derrotas.

O anúncio da saída do comando técnico da equipa sénior masculina do Bougadense foi dado pelo próprio treinador, Fábio Pereira, em entrevista ao NT. “Comuniquei ontem (terça-feira) à direção a minha decisão de abandonar o clube, por motivos pessoais”, afirmou, não deixando de sublinhar que “é com pena” que abandona “o projeto”, uma vez que nota “uma evolução muito grande nos jogadores e na equipa”.
Fábio Pereira quis “desejar a melhor sorte possível ao Bougadense e em especial aos jogadores”, que agora “sabem que passam a contar com um adepto e um amigo”.
O treinador madeirense foi o terceiro da época no Bougadense, depois de António Paris e Agostinho Lima. Assumiu o comando técnico da equipa após a 17.ª jornada, quando o Bougadense ocupava o 3.º lugar, com 30 pontos. Após oito jornadas, a formação bougadense somou nove pontos (três vitórias e cinco derrotas) e posicionou-se no 6.º lugar, onde permanece à saída de Fábio Pereira.
Contactado, Hilário Duque, presidente do Bougadense, confirmou a saída de Fábio Pereira, desejando a “maior sorte” ao treinador.
O sucessor será o treinador-adjunto, André Mota.
No último jogo com Fábio Pereira como treinador, o Bougadense venceu o último classificado, Ataense, por 2-1. Um resultado que o técnico considerou “justo” e que “peca por escasso”. “Nos últimos jogos, apesar de os resultados nem sempre acompanharem as exibições, tínhamos sido sempre claramente superiores aos adversários. Desta vez, o resultado foi justo, mas peca pelo facto de os números não serem mais expressivos”, salientou.
O Bougadense defronta o Nogueirense, 7.º classificado, no próximo domingo, pelas 15 horas, em Nogueira da Maia.