De forma a prestar uma última homenagem a José Reis, a família organizou uma exposição com os seus trabalhos, que estão expostos no Aquaplace.

“Pressentindo que a saúde lhe estava a faltar e já bastante debilitado, concordou fazer esta mostra do seu trabalho. E assim chegamos a esta homenagem ao artista de alma pura”. A emoção e a saudade estiveram presentes na inauguração da mostra de pintura “José Reis – Retrospetiva 2014”, preparada pelos familiares para homenagear o pintor.
A irmã, Helena Reis, contou que José Reis “nunca fez questão de divulgar os seus trabalhos”, uma vez que estava “sempre insatisfeito com os resultados obtidos” tendo deixado “muitas obras inacabadas”.
A inauguração, que decorreu no dia 11 de outubro, contou com um momento musical ao som do violoncelo. A mostra vai estar patente na Academia Municipal da Trofa – Aquaplace até ao dia 25 de outubro.
Para Helena Reis, esta exposição “já deveria de ter sido feita”, porque “há muitos anos que ele (José Reis) pinta, esculpe e faz ensaios em diversos materiais”. Só que, como era “um eterno insatisfeito, nunca estava satisfeito com o que fazia e faltava sempre alguma coisa”. Pressentindo “a doença”, o autor assentiu fazer a mostra e “estava convencido que ainda ia assistir à exposição, mas não deu, a doença foi muito rápida e levou-o muito rápido”.
“Mas era a homenagem que lhe podíamos fazer. Uma homenagem merecida pela pessoa e artista que era. Não podíamos passar sem prestar esta homenagem singela, para que, pelo menos os amigos, tomassem conhecimento daquilo que o Zé era capaz de fazer”, mencionou.