A vencer por 2-1 até aos 85 minutos, quase nada fazia prever que os pontos fugissem ao emblema de Santiago de Bougado. Mas, a vontade do recém-promovido fez com que um resultado positivo construído quase até ao final da partida desaparecesse em cinco minutos.

bougadense.jpgEsteve a vencer por duas vezes, mas não evitou o desaire mesmo nos minutos finais da partida. O Bougadense entrou na nova época com um desaire frente ao motivado Vilarinho, que nunca desistiu da vitória no seu reduto, um dos quatro pelados resistentes na Divisão de Honra.

Quem viu o início da partida não calculava um desfecho como aquele. Logo aos oito minutos, a partir de uma jogada estudada, Pedro Costa surgiu isolado em frente ao guarda-redes adversário e atirou para o primeiro golo do Bougadense.

O empate, aos 22 minutos, por intermédio de Pedro Leite, não desmotivou os pupilos de Agostinho Lima que apesar de não conseguirem reagir na primeira parte, chegaram novamente à vantagem, à passagem do minuto 59, na sequência de um pontapé livre cobrado de forma exímia por Ramalho.

A vencer por 2-1 até aos 85 minutos, quase nada fazia prever que os pontos fugissem ao emblema de Santiago de Bougado. Mas, a vontade do recém-promovido fez com que um resultado positivo construído quase até ao final da partida desaparecesse em cinco minutos. Dois remates de fora de área sem oposição, o primeiro da autoria de Rui e depois, de Pedro Leite, que bisou aos 90 minutos, deram os três pontos à formação de Santo Tirso.

Um "balde de água fria" para jogadores e treinador, que tinha apenas no banco quatro atletas, face às lesões de Fábio, Bruno Sousa, Bruno Cruz, Tó, Ricardo Sá e Adolfo. Para piorar Agostinho Lima foi obrigado a fazer duas substituições forçadas, face às lesões de Pedro Costa e Ramalho.

Contratempos que se juntaram "à ingenuidade da equipa", afirmou o técnico em análise à partida inaugural do campeonato. Para Agostinho Lima "a inexperiência de jogar numa Divisão de Honra" foi o factor preponderante para a derrota.

"Temos muitos jovens que não estão habituados a jogar neste nível e não conseguiram aguentar a pressão da outra equipa que estava a jogar em casa e muito motivada por ter subido de divisão", referiu.

Sem opções no banco e a jogar num terreno pelado "que obriga a maior desgaste físico" nada ajudou os atletas bougadenses que viajaram de Santo Tirso com uma derrota "difícil de digerir".

"Tivemos grandes oportunidades para fazer o 3-1 e matarmos o jogo e também tivemos um lance que podia dar o empate a 3-3, mas que o guarda-redes impediu com uma grande defesa", acrescentou.

No entanto, o treinador não está desiludido com a exibição da equipa. "Eu sei que eles deram tudo dentro de campo, mas futebolisticamente foi impossível fazer mais".

Para o próximo jogo, com o Sousense, Agostinho Lima espera a mesma dificuldade que em todos os encontros do campeonato.

"Paciência" parece ser a palavra de ordem para os lados de Santiago de Bougado, para que os jogadores se habituem à nova realidade que é a Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto.

Cátia Veloso

 

Jogo: Campo de jogos do FC Vilarinho

 

Vilarinho

T. António Jesus

 

Macieira

João Pinto

Norberto

Telmo

Emanuel (Edmundo 80')

Sérgio Teixeira (Pedro Leandro 52')

Ricardo

Rui

Toni (Berto 86')

Pedro Leite

Paulo

 

Bougadense

T. Agostinho Lima

 

Nuno

Hélder

Virgílio

Flávio

Zezinho

Vítor

Ramalho (Gil 62')

Bruno

Ribeiro

Pedro Costa (Ruizinho 71')

João

 

Árbitro: Domingos Ribeiro

 

Marcadores

Pedro Costa (8'), Pedro Leite (22'), Ramalho (59'), Rui (85') e Pedro Leite (90')

 

Resultado intervalo: 1-1

Resultado final: 3-2