Não escrevo há mais de 15 dias. Nessa data não eram conhecidas as medidas da troika FMI, Banco Central Europeu, Comissão Europeia.

Há quem diga que foi um bom acordo. Outros afirmam que a ajuda devia ter sido pedida mais cedo. Eu, como muitos outros, penso que um acordo destes, nesta altura, não é bom. Pedir apoio ao FMI, nunca é bom. Em altura tão adiantada da péssima situação económica e financeira, o acordo só pode ser duro e penoso para os portugueses.

Escrevi em finais do ano passado, que a haver ajuda poderia ser nessa altura, soubesse eu o que aconteceria à taxa de juro. Os governantes deste país, mais bem informados do que todos nós, deviam ter a obrigação de tomar decisões em tempo oportuno. Pelo menos o acordo não seria tão duro.

O que fizeram?

Deixaram “correr o marfim” para ver se a Espanha tinha de fazer o mesmo. A vergonha seria menor e o culpado seria o vizinho – Desculpas de mau pagador!

Mas o que me espanta, ou talvez não, é a postura dos portugueses perante a situação de descalabro a que chegou o país. É a passividade, quiçá o alívio, de um suposto bom acordo.

A mestria da comunicação do Eng. José Sócrates anestesia os portugueses.

Durante dias a fio, as notícias do corte do 13º e do 14º mês, a troca destes por títulos da dívida pública, etc., fez os portugueses temer o pior. Muitos fizeram contas à vida. A depressão assolava todos aqueles que contam os cêntimos do seu orçamento para cumprirem com os compromissos, isto é, a esmagadora maioria dos portugueses.

Em conferência de imprensa, a troika afirmou que esse tipo de medidas nunca foi colocado em cima da mesa. Então, estas notícias foram sendo publicadas para quê? Para mais um “espectáculo” mediático do Mestre Sócrates!

Nunca vi ninguém marcar uma conferência de imprensa, no intervalo de um jogo de futebol assistido por milhões de portugueses, para anunciar uma mão vazia de medidas e outra cheia de nada!

Durante dias os portugueses sofreram, para José Sócrates vir dizer que nada iria acontecer.

Com o ministro das Finanças a seu lado, Sócrates afirmou ter conseguido um excelente acordo!

A quem teria interessado essas notícias? Já pensaram nisso?

Só conheço uma pessoa – José Sócrates!

Mas, desengane-se quem pensa que foi um bom acordo.

Quando começarem a sentir a dureza das medidas impostas pelo FMI, já as próximas eleições irão longe. Já não valerá a pena reclamar com quem fez o acordo.

Os mais velhos já se esqueceram dos anteriores acordos com o FMI?

Acham que vale a pena acreditar num Governo que ao longo de seis anos deixou o país em ruínas?

Acham que os atributos de um bom Primeiro-Ministro é ter as características de José Sócrates?

Colocavam o vosso salário nas mãos de José Sócrates para gerir as vossas despesas de casa?

Compravam-lhe um carro para vos transportar para o trabalho ou transportar os vossos filhos?

Pensem nisso.

Uma coisa é achar graça a algumas “tiradas” e jogadas políticas de José Sócrates.

Outra coisa é quando começam a “mexer” no bolso!

{fcomment}