Espuma que se amontoou no ribeiro de Lantemil e rio Trofa, na segunda-feira, foi originada por “acidente” numa fábrica de produção de perfumes e gel de banho, afirmou fonte da GNR.

 Um amontoado de espuma quase não deixava ver a superfície do rio Trofa, na Rua de Santiago, na Lagoa, em Santiago de Bougado, ao início da tarde de segunda-feira. Junto à ponte da Vigenta, por onde também passa o rio, porçoes de espuma branca esvoaçavam por entre os automóveis que circulavam na Estrada Nacional 104.

A espuma, que teve origem no Ribeiro de Lantemil, também se acumulou à superfície da água que corria sob a Ponte da Corredoura, na rua da CEE, em Santiago de Bougado, onde foram avistados muitos peixes mortos. Segundo populares, o grande manto branco começou a formar-se de manhã, “cerca das 9 horas”.

Devido ao histórico de atentados ambientais dos quais este recurso hídrico já foi vítima, o Núcleo de Proteção do Ambiente (NPA) do Destacamento de Santo Tirso da Guarda Nacional Republicana (GNR) foi alertado para a situação, deslocando-se cerca das 13 horas, à Zona Industrial Ibacoc, em Lantemil, Santiago de Bougado. Aí, segundo fonte da GNR, fiscalizaram várias empresas e detetaram que a origem da espuma provinha de um “acidente” ocorrido “numa fábrica de perfumes e gel de banho”.

Apesar de ter sido um acidente, a empresa não se livrou de uma contraordenação.