A Confraria do Cavalo está a preparar a vertente equina da Feira Anual da Trofa e espera mais de 300 cavalos no certame. 

A vertente equina da Feira Anual da Trofa tem evoluído a olhos vistos com a presença de cada vez mais cavalos no certame. O aumento da qualidade coincidiu com a participação da Confraria do Cavalo na organização da iniciativa. Esta associação da Trofa colabora com a Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado desde 2010.

Este ano são esperados mais de 300 animais, uma prova de que a Feira Anual se tem tornado numa referência também na área dos equinos. Para Joana Matos, presidente da Confraria, a explicação está “na qualidade” do certame e no facto de ser a primeira iniciativa do ano, em que os criadores podem “mostrar os primeiros produtos”. “A divulgação também é muito boa. O número de pessoas a fazer provas equestres tem aumentado e os criadores gostam de vir à Trofa. Vêm coudelarias de referência, como a melhor do País, a de Santa Margarida, do senhor Pidwell”, explicou.

Toda a vertente dos equídeos é da responsabilidade da Confraria do Cavalo, que organiza todo o espaço dedicado aos cavalos e as provas como a de Modelo e Andamentos, com cerca de cem inscrições, a Equitação de Trabalho (a contar para o Campeonato Regional), Horse Paper, Cavalhadas e Derby de Atrelagem, todos com mais de 30 inscrições. 

À parte da competição, também há quem vá à Feira Anual da Trofa apenas para “mostrar os cavalos ou passear”. “À volta da feira, já começa a haver o aluguer de casas para colocar animais”, frisou Joana Matos. À semelhança da grande promotora da Feira Anual, também para a Confraria o espaço exíguo é a principal dificuldade para a evolução do certame. Apesar deste obstáculo, a Feira Anual tem sido uma das iniciativas por excelência escolhida pelas coudelarias do Norte e outras de renome nacional. As novidades para este ano são o Campeonato Regional de Equitação de Trabalho e um novo espetáculo na gala da Confraria, na noite de 3 de março.

 

{fcomment}