No âmbito das actividades de dinamização de ateliers artísticos promovidas regularmente, o Espaço T da Trofa inaugurou, na passada sexta-feira, a Exposição Individual de Pintura do pintor João Filipe Pereira. (“Do Natural ao Surreal” pretende retratar ideias e emoções que acompanham o pintor, natural do Porto.)

 João Filipe Pereira nasceu em 1966 no Porto, cidade onde sempre viveu. “Sempre me interessei por pintura e por pintores famosos e, há cerca de seis anos, comecei a dedicar-me a pintar. Tenho feito estudos e trabalhado num atelier em casa”, contou João Filipe Pereira ao NT/Trofa Tv. No passado dia 6 de Fevereiro apresentou a sua primeira exposição “Do Natural ao Surreal” no espaço do Fórum Inovação e Jovens Empreendedores na Trofa (FIJE), numa oportunidade concedida pelo Espaço T da Trofa. Através dos seus quadros, na sua maioria de cariz surrealista, João Filipe Pereira procura “transmitir emoções do que sente neste planeta”. “Pretendo retratar paisagens que conheço ou tiro fotos na Internet que me agradam e depois reproduzo-as”, explicou o pintor, acrescentando que, através dos seus quadros, procura transmitir a sua preocupação “com a Natureza e as questões ambientais” da actualidade.

Os projectos de João Filipe Pereira para o futuro passam por continuar a servir-se da tela e do pincel. “Vamos ver como corre esta primeira exposição e depois penso continuar”, adiantou, reconhecendo que “este mundo da pintura não é fácil, mas sem esforço não se consegue nada”.

Desde 2001 o Espaço T dinamiza na Trofa ateliers de pintura, jornalismo, fotografia, expressão plástica, entre outros. “De vez em quando, ou em exposições colectivas dos alunos do Porto que frequentam as mesmas actividades, ou em exposições individuais, nós facultamos através desta dinâmica de terapia e de integração, a oportunidade a alguns dos nossos alunos de poderem promover exposições”, explicou ao NT/Trofa Tv Domingos Mendes, coordenador do Espaço T da Trofa. De acordo com o responsável, esta oportunidade “é uma forma de promoção da auto-estima e do auto-conceito”, sendo objectivo as pessoas perceberem que os seus trabalhos representam uma forma de crescimento e uma forma de aceitação”.

Para Domingos Mendes “o concelho da Trofa não tem ainda o dinamismo cultural desejável” . “Pessoalmente, penso que para se apreciar pintura primeiro tem que se dar o realismo às pessoas e depois presenteá-las com novas fases, como o neo-realismo e o surrealismo, até se chegar à parte mais abstracta do conceito de pintura”, considerou.

A exposição do pintor João Filipe Pereira estará patente no Fórum Inovação e Jovens Empreendedores na Trofa até ao dia 6 de Março.

 {flvremote}http://trofa.otos.tv/videos/exposicaopinturaT.flv{/flvremote}