A equipa de bilhar do Clube Slotcar da Trofa sagrou-se campeã Nacional da 2.ª Divisão. Rogério Oliveira, Pedro Forte, Briguel e Rafael Sampaio disputaram, entre os dias 4 e 6 de julho, as Fases Finais Nacionais por Equipas de Pool Português, no Hotel Golf Mar, no Vimeiro.

Não foi preciso esperar pelo último jogo da fase final da 2.ª Divisão Nacional de pool português para conhecer o campeão desta época. Com uma prestação irrepreensível, a equipa do Clube Slotcar da Trofa puxou dos galões e na penúltima partida assegurou o feito histórico para a coletividade, ao vencer o Moher – Luna Café por 9-5. Rogério Oliveira, Pedro Forte, Briguel e Rafael Sampaio compuseram a equipa que, no domingo, garantiu o primeiro título nacional para o clube nesta modalidade.

Já com a subida de divisão assegurada, a equipa conseguiu cumprir a fase final sem derrotas e só cedeu o empate no último jogo (8-8 com AB Miguel Silva ‘B’), quando já tinha o título nas mãos. Para trás ficaram os triunfos frente ao CB Netinhos – Seguros PAS/Victoria (9-6), Spazio Pool (9-4), Santa Cruz (9-2), Café Retiro Pool Team B (9-2) e CRCFC Café a Bica 2 (9-1).

Em entrevista ao NT, o capitão de equipa, Rogério Oliveira, afirmou que o título “foi o culminar de um sonho”, que começou com “a conquista da Liga Abelha”, que “há muito tempo não conseguia” e prosseguiu com a subida de divisão. “Geralmente, estas fases decidem-se na última jornada o que demonstra o nosso enorme potencial. Fomos claramente superiores, evidentemente reconhecidos por parte dos nossos adversários. Fiquei surpreendido pela forma educada e ordeira como se desenrolou esta fase final”, atestou.

O segredo para uma boa prestação, segundo Rogério Oliveira, é o “relaxamento total”. “A pessoa tem que estar liberta de tudo o que a possa preocupar. A partir do momento em que lá está é bom jogador, se é bom há que mostrar, se há que mostrar e é competente, é campeão. Foi o caso”, descreveu.

Visivelmente orgulhoso estava o presidente do Clube, João Pedro Costa, que associou este título com o objetivo de ter uma coletividade “eclética”, virada para várias modalidades. “O bilhar foi uma aposta há três anos e os frutos começam a ver-se. Ao termos sido campeões da 2.ª Divisão, vimos o nome da Trofa ser reconhecido a nível nacional. Com este título, o Slotcar é um clube maior”, sublinhou.

Um dos trunfos para o sucesso foi “a grande proximidade” entre atletas e direção, revelou o presidente, porque “há um interesse comum em termos estratégicos e do que é o projeto do clube”, rumo a “puxar para a Trofa a referência do bilhar em termos de lazer”. “Nós demos as condições que podíamos e as pessoas corresponderam com a sua capacidade”, frisou.

Para João Pedro Costa, “todas as secções do clube (slotcar, bilhar, gaming e automóveis antigos) têm permitido que o clube tenha uma expressão que a maior parte dos trofenses reconhece”.

João Paulo Monteiro e Aníbal Manuel também foram campeões, uma vez que cumpriram alguns jogos ao longo do campeonato.

Formar campeões

Um dos horizontes da direção da coletividade, no que respeita ao bilhar, é “fazer uma escola de formação”, para que “haja jovens que percebam que o bilhar pode ser praticado de forma desportiva, com engrandecimento pessoal”. O objetivo “passará sempre por conseguir formar campeões”, anunciou.

1.ª Divisão: um grande desafio

A próxima época antevê-se difícil para a equipa de bilhar, que vai ombrear com as melhores equipas nacionais. É que, segundo Rogério Oliveira, o Porto é o distrito mais forte, pois “trouxe, praticamente, os títulos todos”. Esse dado, “alerta”, servirá de motivação para a equipa preparar-se da melhor forma para a próxima temporada e para “as dificuldades que se avizinham”, explicou.
Já João Pedro Costa assinalou que “com mais frequência, e à semelhança do que tem acontecido no passado, os bons jogadores vão passar pela Trofa”.