Trofa e Santo Tirso estiveram em despique…no futsal. O pavilhão municipal de Santo Tirso recebeu, no dia 25 de abril, as finais da Taça Concelhia de futsal e entre os vários jogos realizados, um destacou-se por colocar frente a frente equipas dos dois concelhos. O Núcleo de Sporting da Trofa foi incluído na competição esta temporada e chegou à final com a Associação Recreativa do Areal. Num jogo quase sempre equilibrado, a equipa trofense acabou por garantir o triunfo na segunda parte por 2-0.
Pedro Andrade, treinador da equipa trofense, considerou que “o jogo foi muito bem disputado”, apesar de na primeira parte as atletas que comanda “terem entrado mal, muito nervosas e pressionadas”. “Não tinham motivos para isso, uma vez que têm experiência nestes momentos, mas acabou por ser uma boa final”, asseverou.
Uma vez que não há competição na Trofa, o Núcleo do Sporting e o Futebol Clube Guidões conseguiram integrar-se no campeonato concelhio de Santo Tirso. Pedro Andrade sentiu-se “muito bem recebido”, contrariando a expectativa. “Pensei que íamos ser colocados um pouco de lado, mas não. Agradeço à Câmara Municipal de Santo Tirso e à organização de futebol amador por nos ter recebido tão bem”, afirmou.
Nélia Magalhães, guarda-redes da equipa trofense “há seis anos”, considerou a participação no campeonato concelhio de Santo Tirso “uma boa oportunidade para voltar a ter ritmo de jogo” depois de “um ano sem competir”. “O que nós queríamos era jogar para conseguir fazer o que temos feito e, se no início não correu muito bem, agora estamos numa boa posição para lutar pelos primeiros lugares”, afiançou.
Apesar de estar num campeonato “mais difícil do que esperava”, a equipa do Núcleo do Sporting está na 2.ª posição, a quatro pontos do líder. Pedro Andrade considera que será possível chegar ao topo nas cinco jornadas que faltam.
Carlos Meireles, treinador da equipa sénior feminina da Associação Recreativa do Areal, foi um dos defensores da integração das equipas trofenses. “Eu apoio o futsal e de ano para ano vê-se a diminuição das equipas. Eu fui daqueles que disse que se devia arranjar mais, porque há mais equipas escondidas e nós temos de chamar as pessoas para o desporto e para o futsal”, frisou.