O Concelho de Santo Tirso tem agora mais 350 pessoas certificadas profissionalmente. Em cerimónia que decorreu no dia 25 de Julho, no átrio da Câmara Municipal, foram entregues vários certificados de formação profissional aos desempregados do concelho.

 "A vossa presença nesta cerimónia é a prova de que vale a pena apostar na formação como forma de aquisição de novas competências. Este é e será um instrumento fundamental para fazer face a um mercado cada vez mais competitivo, exigente e global. O esforço de qualificar pessoas e qualificar, deste modo, o nosso concelho é uma prioridade tida como essencial para a reconversão da economia local".

Foi assim que o presidente da autarquia, Castro Fernandes, justificou o "sucesso em que resultou esta parceria entre a Câmara Municipal de Santo Tirso, a Microsoft, o CITEVE e o Instituto e Centro de Emprego e Formação Profissional". O Presidente da Edilidade Tirsense concluiu a sua pequena intervenção afirmando: "É nosso objectivo reforçar os mecanismos de incentivo à formação profissional, aumentar a empregabilidade, promover incentivos à criação de novos postos de trabalho e à mobilidade como forma de combater este tipo de desemprego estrutural".

Na cerimónia estiveram presentes, o Sub-Delegado Regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), José Manuel Castro e os representantes do CITEVE e da Microsoft, respectivamente Augusto Lima e Rodolfo Oliveira. A directora do Centro de Emprego de Santo Tirso e Trofa, Cecília Vilas Boas, e o presidente da ACIST, Luis Silva Ferreira, também marcaram presença.

O presidente da Câmara, Castro Fernandes, referindo-se à formação e qualificação do concelho como "prioridade essencial", enalteceu esta parceria entre as várias instituições salientando que "esta é a realidade social, temos que nos adaptar às novas tecnologias". A comprovar a aposta do concelho na formação, o autarca referiu "os equipamentos já criados como o Centro de Novas Oportunidades, o Projecto TII – Tecnologia, Inovação e Iniciativa, e as medidas activas de emprego".

Num concelho em que o desemprego é acentuadamente feminino na faixa etária dos 40 anos, o sucesso destas parcerias foi consensual. Augusto Lima, representante do CITEVE, referiu que de facto a cerimónia era "o momento certo para valorizar esta parceria". "Provavelmente para alguns de vocês aqui está um recomeço" deixou o alerta.

Luis Manuel Castro, sub-delegado do IEFP, sublinha esta posição adiantando que "estas acções são importantes para nós nos valorizarmos".

Também Rodolfo Oliveira, da Microsoft, evidenciou o orgulho nesta relação e deixa o conselho "vejam isto como um passo num processo".

331, dos certificados atribuídos, referem-se à formação profissional ministrada a desempregados têxteis do concelho, para aquisição das competências básicas ao nível das Tecnologias de Informação e Comunicação (complementadas com sessões específicas de motivação para a formação/emprego e de divulgação dos mecanismos de inserção profissional disponíveis).

Este curso de formação profissional começou em Junho de 2006, e resultou de uma parceria de sucesso entre a "MICROSOFT", o "CITEVE" e a "CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO". Dos 421 inscritos, 334 já concluíram esta formação.

"Num outro âmbito, a parceria estratégica com o Instituto do Emprego e Formação Profissional", refere Castro Fernandes, indicando o reforço que esta ligação significou nos apoios à "promoção, formação e criação de postos de trabalho no âmbito das profissões relacionadas com a conservação do património natural, cultural e urbanístico", esclarece o autarca.

Também nestas áreas, 34 certificados foram entregues, no âmbito do Programa Operacional de Emprego e Desenvolvimento Social que a Câmara Municipal de Santo Tirso desenvolveu no domínio específico da cerâmica, conservação e restauro de azulejo passando pela jardinagem e hortofloricultura. Destinado aos desempregados de longa duração, o curso pretende dar uma qualificação profissional aos desempregados de longa duração provenientes do têxtil e aos jovens desempregados do Concelho.

O Mosteiro de Singeverga e a Capela de S. João Baptista, em Santo Tirso, o Mosteiro de S. Bento da Vitória e a Capela de Santa Ana, no Porto, foram algumas das obras de intervenção ao longo da formação.